Artigos

Como produzir vídeos relevantes nas redes sociais

Mais frequentes nas redes sociais, vídeos são opções de entretenimento e informação para interação de usuários e fortalecimento de marcas nas plataformas digitais

 

Imagem: mural com a representação de todas as redes sociais. vídeos.

Você já parou para pensar em quantos vídeos assistiu pelo smartphone, computador, smart TV ou tablet apenas nesta semana? São conteúdos que vão desde peças publicitárias, notícias, compartilhamento de momentos do cotidiano ou até mesmo de reações daquele gatinho.

Esta é a tendência do novo consumo de conteúdos audiovisuais. O brasileiro passa, em média, 19 horas por semana acompanhando vídeos em plataformas digitais, um aumento de 135% em relação aos últimos quatro anos, de acordo com pesquisa da Provokers. O dado segue na mesma curva mundial, principalmente a partir de 2015 quando o número global de usuários acessando vídeos em dispositivos móveis passou de 14 minutos por dia naquele ano para 35 minutos por dia em 2018.

Acompanhando este movimento, empresas investem em vídeos para campanhas de marketing para reforçar a marca, melhorar o engajamento e aumentar as receitas. Para ter uma ideia do impacto, um minuto de vídeo pode equivaler a 1,8 milhão de palavras, de acordo com estatística da empresa de pesquisa de mercado Forrester Research.

Para ter destaque em meio a grande quantidade de vídeos nas redes sociais há algumas dicas que podem ser seguidas para que o conteúdo ganhe destaque. Todos os dias, mais de 570 mil horas de conteúdo são postados apenas no YouTube. Quando consideramos isso junto com outras plataformas, fica fácil de imaginar a competitividade do espaço – cada vez mais é necessário entender melhor a sua audiência e encontrar qual tipo conteúdo consegue gerar o maior impacto em um espaço menor de tempo.

 

1. Celular também pode ser um equipamento profissional

Hoje em dia a grande maioria dos celulares vêm com câmeras muito boas para começar a gerar conteúdo quase que no mesmo nível de um equipamento profissional. Engana-se quem pensa que para criar é necessário ter o último modelo da marca mais cara. Basta utilizar todos os recursos do telefone corretamente e aproveitar que hoje em dia existem diversos aplicativos gratuitos (ou pagos) de edição, efeitos e captura de imagem ou som. E, por falar em som, é preciso ter bastante cuidado ao gravar – é mais comum do que parece uma voz ficar muito baixa em uma entrevista ou o áudio estourar em um grave mais forte. O som em geral tem um papel muito importante na hora dos usuários decidirem se passam para o próximo vídeo ou não.

 

2. Horizontal x vertical

Esta escolha vai depender muito da sua narrativa, ou melhor, de qual forma você quer contar sua história. Com a explosão do Stories (no Instagram) e um universo cada vez mais mobile, vídeos verticais estão ganhando muito espaço. Na maior parte do tempo, as pessoas seguram o telefone na vertical e, por isso, este formato se encaixa bem e garante enquadramentos bons para cenários onde uma parte da imagem é extremamente relevante, como um apresentador falando, uma dançarina se apresentando ou ainda um cantor em uma performance. Apesar disso, filmar bem na vertical não é muito fácil – os movimentos com o telefone precisam ser bem pensados e uma variação maior de ângulos ajuda muito na hora da edição. Já no caso do conteúdo horizontal, é possível incluir uma gama maior de informação na tela em cada quadro, tornando-se o formato ideal para vídeos que incluem paisagens e outros cenários mais abrangentes.

 

3. Conexão com o público

Hoje em dia temos vídeos dos mais diversos assuntos, como fotografia, economia, física, gastronomia, curiosidades, história, esportes, etc. Independente do assunto, para prender sua audiência, seus vídeos precisam contar uma boa história e, se possível, incluir o espectador de alguma forma. Programas e personagens que interagem com sua audiência acabam tendo resultados fantásticos de retenção de público, especialmente quando conseguem transformar parte do conteúdo em brincadeiras, perguntas e respostas etc. Até mesmo conteúdos educativos se utilizam de interatividade para que o aprendizado seja menos cansativo.

Criar conteúdos de qualidade ajuda a impactar a audiência, engaja-la e conectá-la ao mesmo, por isso, é importante pensar também na periodicidade em que os vídeos serão postados na plataforma escolhida, bem como na consistência do conteúdo. E não espere um viral do dia para a noite, geralmente, o sucesso nos canais de vídeo vem com o tempo, pense que você plantou uma semente e precisa regar com frequência para que ela germine, floresça e comece a dar frutos.

 

4. Edição está mais fácil

Muitas vezes o segredo do sucesso dos vídeos digitais não está só no conteúdo, mas principalmente na edição, que o torna dinâmico, divertido, e capaz de atrair o interesse de uma grande audiência. Até pouco tempo atrás para editar qualquer tipo de audiovisual precisava-se de uma ilha de edição, grandes e caros computadores, softwares, teclados, fones de ouvido, monitores especiais e até mesmo caixas de monitoramento. Tudo isto fazia com que o processo se tornasse muito caro e complexo – poucas pessoas tinham acesso ao equipamento. Hoje, com um celular um pouco mais moderno, pode-se filmar e editar logo em seguida. O que não falta são aplicativos de edição de vídeo – muitos deles gratuitos ou por um preço acessível. A tecnologia traz fácil usabilidade e a ajuda de filtros e efeitos, assim cada dia mais vemos vídeos extremamente bem produzidos por amadores.

 

5. Conteúdos de “dicas” e “como fazer”

Quem nunca ficou na dúvida sobre o que adquirir e precisou de uma indicação? Existem categorias que se destacam mais do que as outras, uma delas é a de “dicas” e as de “como fazer”, mas fora estas duas há muitas outras que tem seu respeitável público. Em um passado recente, os vídeos de unboxing de produtos eram os que mais bombavam nas redes e até hoje em dia os vídeos de resenhas ou dicas de quais produtos e serviços que se deve contratar, tem uma ótima resposta com grande audiência. Há youtubers que simplesmente contam histórias, outros que focam mais em conselhos do que fazer ao chegar naquele parque temático dos seus sonhos, e também vídeos colaborativos, nos quais mais de um influenciador participa. Nunca se esqueça de se colocar no lugar da sua audiência, não é pelo fato de que você conhece tal assunto, que todo mundo deva saber. Tente sempre estar à frente da sua concorrência. Não deixe de experimentar na realização de vídeos curtos sobre assuntos específicos, eles podem funcionar como pílulas para os seus espectadores

Lucas Alves

Graduado em Engenharia de Computação pela PUC-RJ, Lucas Alves foi o primeiro funcionário da Firework no Vale do Silício, e é o responsável por trazer a plataforma para o Brasil. É responsável pela operação no país e tem participação ativa em parcerias e contratos.

Comentários

PUBLICIDADE