Artigos

A ciência por trás do fim dos likes do Instagram

No início do segundo semestre de 2019 não se falava em outra coisa. Muita gente ficou preocupada quando foi anunciado o fim dos likes do Instagram, que vetou a visibilidade da contagem das curtidas de outros perfis, que não o seu próprio, na rede social.

Para grande parte das pessoas, esse novo posicionamento, ainda em cunho de teste, soou como se fosse o fim do canal. Ainda mais sem entender direito como funcionaria. Contudo, quem trabalha com marketing digital sabe que quantidade de seguidores e likes não significa vendas, nem paga as contas no fim do mês – vide caso da Influenciadora com mais de 2 milhões de seguidores que não conseguiu vender nem 36 camisetas. Lembra?

São as chamadas métricas vaidade, que muito tempo sustentaram as apresentações de resultados com o respaldo da falta de conhecimento sobre os indicadores de performance adequado conforme objetivo de negócio ou de atuação da rede.

Com essa mudança, porém, as marcas precisaram se adaptar e buscar novas maneiras de provar resultados de engajamento. A sua empresa já encontrou a estratégia certa depois que os likes deixaram de ser o centro das atenções no Instagram?

 

Como era o comportamento das marcas na era dos likes?

O like é a maneira mais simples e fácil de interagir com uma publicação. Quem nunca rolou o feed e deu dois cliques de forma indiscriminada que atire a primeira pedra! Exatamente por esses fatores ele é, na grande maioria dos casos, o tipo de interação mais comum, o que acabou tornando o like, equivocadamente, referência de engajamento.

Isso levou o recurso a ser considerado prova social, sustentando parte da comunidade de influenciadores digitais e levando profissionais de redes sociais a terem que considerar essa métrica como significado de sucesso.

O mercado acabou tomando essa conclusão como verdade, o que estimulou o início da compra de curtidas – e levou diversas marcas a acreditarem em uma grande ilusão. Apesar de algumas empresas compreenderem já nessa época que os likes não representavam muita coisa para uma estratégia, esse não era o caso da maioria.

É claro que ele já teve muita importância, especialmente quando as redes sociais começaram a se tornar uma verdadeira febre entre as pessoas. Quanto mais likes você tinha, mais popular você era. Era também um termômetro para as empresas e, por isso, uma das métricas mais analisadas.

Contudo, a evolução da plataforma para melhoria da experiência do usuário passou a identificar a interferência das curtidas e como elas tiravam o foco naquilo que a rede social mais prioriza, avançando para a era do fim dos likes no Instagram.

 

Por que os likes sumiram do Instagram?

A rede social, que surgiu para que as pessoas compartilhassem momentos de forma despretensiosa e divertida, acabou se tornando um local de pressão social e de métricas de vaidade, onde as pessoas e marcas passaram a fazer de tudo em busca de mais likes como indicador de sucesso.

Marcas e pessoas estavam muito mais preocupadas com o volume de likes que tinham do que com o conteúdo que produziam e sua qualidade, realizando comparações sobre quem tinha mais curtidas.

Esse comportamento acabou levando ao grande motivo da retirada da contagem dos likes do Instagram, que segundo discurso da própria empresa se deu por conta da grande competição por status quantitativo que se instalou na rede.

 

Se os likes estão em baixa, então o que está em alta?

Com as mudanças realizadas pelo Instagram, os likes acabaram perdendo força. As marcas, então, precisaram se adaptar a essa nova realidade buscando novas provas de engajamento, já que houve a redução desse tipo de interação e do seu peso no algoritmo.

Em seu lugar, um leque de opções direcionadas ao estímulo do engajamento dos usuários:

 

Compartilhamento, comentários e cliques

Quanto mais os seguidores compartilham suas publicações, mais pessoas – inclusive as que não seguem a sua marca – entrem em contato com o seu conteúdo. Isso é excelente e, por isso, você deve incentivar o compartilhamento usando um CTA (Call to Action ou Chamada para Ação), por exemplo.

O estímulo aos comentários também é uma ótima opção para envolver o seu público. Inclusive, esse é o tipo de interação que tem maior peso para o algoritmo. Explore-o!

Seu seguidor pode até não querer compartilhar a publicação, mas pode ter alguma identificação e marcar um amigo nos comentários. Com isso, esse amigo que nunca tinha ouvido falar da sua empresa ou que não a seguia, passa a conhecê-la. Como uma indicação.

Os cliques no link do perfil ou pelos Stories, que favorece a interação, também devem ser estimulado. Que tal oferecer um ebook para baixar? Uma ferramenta de trabalho interessante para os seus seguidores? Novamente, o uso de um CTA direcionada para essa ação pode ajudar.

Analisar as métricas também ajudará na definição do conteúdo que gera mais engajamento. Entenda quais formatos, horários e tipo de informação geraram mais engajamento para explorá-lo melhor em sua estratégia.

 

Geração de tráfego

Agora, as empresas devem também se preocupar em gerar tráfego nas suas redes sociais, seja orgânico ou seja pago. Para isso, uma estratégia voltada para um conteúdo relevante e que realmente esteja alinhado àquilo que o seu público precisa ou deseja é essencial.

Você pode descobrir o que eles mais querem fazendo enquetes nos stories ou mesmo por meio de pesquisas em outros canais. Pergunte quais temas eles têm mais dúvidas, o que gostariam de ver mais no Instagram da empresa e assim por diante.

Gerar tráfego pago também é importante, especialmente para quem está começando um negócio e quer ter maior visibilidade ou para quem está promovendo um novo produto ou serviço. Tudo vai depender o seu objetivo.

 

Seguidores do perfil

Sabemos que todos querem ter um grande número de seguidores e, para isso, muitos estão comprando seguidores no Instagram. Essa é uma prática que já foi identificada pela rede social e a mesma tenta bani-la a todo custo.

Além de sua conta sofrer algumas punições, você está colocando no seu perfil pessoas que não vão gerar engajamento, pois não têm interesse pela sua marca. Além disso, a sua empresa perde credibilidade.

Por isso, essa é uma métrica importante, mas deve ser analisada também de forma qualitativa. Uma dica para acompanhar a efetividade e adequação dos seguidores que sua marca vem ganhando é ficar de olho na taxa de engajamento.

Determine como meta o crescimento de seguidores sem a queda da taxa de engajamento para garantir que o público que está seguindo a sua marca é um cliente em potencial de verdade.

 

Visualizações no Instagram Stories

Os stories do Instagram são outra forma de engajar e muito o seu público. Tem grande força na rede e bom alcance, caso acompanhe estratégia e plano tático eficiente.

É o local ideal para colocar um pouco do que acontece nos bastidores da empresa e usar os famosos stickers. É também um ambiente favorável às interações devido aos recursos que disponibiliza.

Crie enquetes, faça perguntas, utilize recurso de música, Gifs, filtros, faça lives, grave vídeos curtos… Explore as possibilidades e formatos até encontrar o que mais funciona para a sua marca e seu público.

Ah! Lembre-se que as atualizações nas redes sociais são constantes. Por isso, experimente caminhos diversificados e evite ficar refém dos resultados de alguma estratégia ou recurso específico. Afinal, assim como ocorreu o fim dos likes do Instagram, a qualquer momento o item que você está priorizando ou utilizando como exclusividade pode acabar!

Mariana Cabral

Especialista em Inbound Marketing e SEO, Mariana é Head de Conteúdo da mLabs, a Ferramenta de Gerenciamento de Redes Sociais líder no Brasil.

Comentários

PUBLICIDADE