Artigos

[OMR Festival] Inteligência Artificial: possibilidades, consequências e cenários

Historiador e autor de best-sellers, Yuval Noah Harari  falou sobre o futuro do mundo digital no OMR Festival

 

*Artigo escrito por Flávio Horta e editado por Bianca Borges

 

As palestras no palco principal do OMR Festival começaram cedo neste segundo dia de evento. Todos os bate-papos foram guiados pelo Co-founder do OMR, Philipp Westermeyer.

Neste artigo, quero destacar uma importante palestra, que aconteceu nessa manhã: a apresentação de Yuval Noah Harari. Historiador e autor de best-sellers como Sapiens e Homo Deus, o trabalho de Yuval se concentra no futuro do mundo digital, fazendo com que o mundo tome conhecimento das evoluções tecnológicas.

Historiador e autor de best-sellers, Yuval Noah Harari, se diz realista sobre o uso das novas tecnologias e acredita que, no futuro, elas farão melhores escolhas que os próprios seres humanos

 

 

Um pouco sobre o futuro do mundo digital

Em sua apresentação no OMR Festival, o historiador falou sobre as novas tecnologias e, principalmente, as consequências da inteligência artificial para nós, seres humanos.

Entre ser mais otimista ou pessimista com a evolução da tecnologia em relação à humanidade, Yuval se considera realista. “Temos que ter ciência do que está acontecendo e andar junto com a tecnologia”, ele diz.

De acordo com o historiador, os algoritmos têm a capacidade de entender muito bem o funcionamento das vontades e gostos dos humanos, podendo fazer escolhas assertivas para o que cada ser humano quer, tal como escolher o melhor carro para o seu perfil, melhor geladeira para o seu estilo de vida e até a melhor pessoa para se casar. Com certeza, a tecnologia consegue unir pessoas com perfis compatíveis que terão menos problemas com o casamento se comparado às escolhas humanas atualmente.

A inteligência artificial nos monitora o tempo todo. Os algoritmos que ela cria, individualmente, são cruzados coletivamente, tornando o conhecimento sobre como as pessoas pensam, o que elas querem e o que elas vão querer no futuro.

 

Momento descontraído

Por falar em tecnologias inteligentes, durante a palestra de Yuval, Kai Diekmann – Co-Founder Story Machine, Zukunftsfonds, Story Machine – perguntou ao historiador se ele usava o Apple Watch. Yuval respondeu que não. Depois de longas risadas da plateia, Yuval explicou que não tem medo da tecnologia e nem de ser monitorado, e que apenas prefere usar os gadgets que fazem mais sentido para ele se comparado ao relógio da Apple.

Segundo o historiador, seu marido usa o Apple Watch e ele não vê nenhum problema nisso. Aliás, Yuval arrancou mais risadas da séria plateia de alemães, depois de responder que quem escolheu as meias de bolinhas brancas que ele estava usando no OMR foi o seu companheiro.

 

O segredo é utilizar a tecnologia da maneira certa

Ficou claro que a tecnologia é importante e, em muitos casos, fundamental e transformadora na vida do ser humano, mas o excesso é desnecessário. Podemos fazer opções do que queremos utilizar e não apenas aderir ao que está “na moda”.

Os computadores já têm antivírus, agora precisamos criar uma proteção para os nossos cérebros. A privacidade vai ser cada vez mais importante.

No final da sua apresentação, Yuval ainda afirmou que os algoritmos individuais tendem a ser perigosos, se forem criados para as grandes companhias ou governos, mas podem ser muito bons se utilizados pelas próprias pessoas para benefícios próprios.

 

Para refletir…

Logo após a palestra de Yuval, o Jornalista e Empresário Kai Diekmann, Co-founder da Story Machine, Zukunfsfonds, Story Machine, mencionado anteriormente aqui, conduziu um bate-papo extremamente interessante com Yuval.

Uma das ideias retomadas durante a conversa, que arrancou risos da plateia, foi a de que o historiador acredita que, um dia, a inteligência artificial será melhor em escolher maridos ou esposas para nós, do que nós mesmos.

Essa situação me fez lembrar um dos episódios da série Black Mirror da Netflix no qual tratam desse tema. Será que um dia realmente chegaremos lá?

Yuval e os cientistas que trabalham com inteligência artificial estão deixando claro que já temos tecnologia para isso e que estamos no caminho para presenciar mudanças drásticas na sociedade.

 

*Bianca Borges é jornalista do Digitalks

Flavio Horta

é empresário, publicitário e especialista em marketing digital, CEO / Founder do Digitalks – principal gerador de conhecimento e negócios na área digital – e Diretor de Eventos e Integração Nacional da ABRADi. Foi diretor de negócios na Media Factory, tem experiência no mercado de internet desde 1999, com passagens pelo BOL e UOL, além de ter montado o seu próprio e-commerce em 2002.

Comentários

PUBLICIDADE