Artigos

Computação de borda: o que ela tem a ver com o meu negócio?

por:

Até 2023 mais de 50% da nova infraestrutura de TI corporativa implantada estará na computação de borda, ou seja, em Edge Computing, em vez de data centers corporativos. Hoje, estima-se que esse índice seja de apenas 10%. Os dados, que fazem parte das previsões da International Data Corporation (IDC), jogam luz sobre uma tendência que tem beneficiado organizações de diferentes portes e segmentos com menos latência no acesso às informações, redução de custos operacionais e otimização da operação e do tempo dos colaboradores que operam as tecnologias. Isso sem falar na maior segurança aos dados sigilosos, quando o processamento dessas informações acontece fora da nuvem pública.

 

O que é computação de borda?

Também conhecida como Edge Computing, a computação de borda caracteriza-se por uma arquitetura de TI aberta, distribuída e que apresenta o poder de processamento descentralizado. É ele quem capacita as tecnologias de dispositivos móveis e aquelas relacionadas à internet das coisas (IoT). Na prática, ela permite que os dados sejam processados onde são gerados, ou seja, dispositivo, computador ou serviço local , em vez de enviar as informações para serem processadas em um data center. Dessa forma, a composição dessa arquitetura inclui software, hardware e serviços provisionados, além – claro – da mão de obra, inteligência e conhecimento de especialistas.

A capacidade de utilização da computação de borda é bastante ampla. Mas, tenho visto ela beneficiar muitas organizações em processos de avaliação de peças na linha de produção, análise de performance de maquinário, sistemas de refrigeração, componentes de TI, câmeras de segurança, drones, carros que trafegam sem motorista. Ela também é útil para promover a mobilidade de equipamentos autônomos que contam com GPS, câmeras e sensores, como tratores e empilhadeiras.

 

Benefícios da Edge Computing

Por promover o processamento dos dados perto da fonte, a computação de borda tende a beneficiar a organização com agilidade no acesso a informações importantes, redução do consumo de energia da banda larga da internet, eliminação dos custos e aumento da eficiência de aplicativos usados em locais remotos. A segurança, como eu disse anteriormente, também é um diferencial, principalmente em se tratando de dados confidenciais e estratégicos. Para usufruir ainda melhor do ambiente, é possível desenhar a arquitetura de forma que nela haja a coleta de dados de performance dos usuários e do ambiente.

 

Diferenciais de uma solução de computação de borda eficiente

A inteligência é, sem dúvida, o diferencial do conceito Edge Computing. Nesse contexto, minha recomendação é que, na escolha da melhor opção, você opte por aquela que ofereça ao seu negócio a capacidade de conexão, computação e armazenamento similar a de um data center, só que com a mobilidade e agilidade que determinadas ações demandam.

A transformação de uma empresa que deseja manter ou aumentar sua competitividade passa, necessariamente, pela Edge Computing. Os negócios mais maduros caminham para isso. Você não vai querer ficar um passo atrás desse movimento, não é mesmo?

diretora na MPE Soluções

Comentários

PUBLICIDADE