Artigos

Coisas que você precisa saber sobre blockchain na rastreabilidade

Aprenda como a tecnologia blockchain é importante quando aplicada na rastreabilidade dos resíduos sólidos

 

A relação com o gerenciamento de resíduos, não somente no Brasil, como no mundo inteiro, é delicada e muitas vezes não há total confiabilidade nos processos, e isso afeta todos os players do mercado.

Os principais pontos são: garantir para onde esse resíduo ou material está indo e se sua destinação está sendo feita corretamente, evitando assim possíveis problemas para a população e para as empresas responsáveis, e estar em dia com as legislações ambientais. Além disso, existem entes públicos e privados envolvidos em toda essa cadeia de processos pós produtivos.

Por esse motivo, é de grande importância que exista uma tecnologia que garanta segurança, eficiência, transparência, confiança entre os entres e rastreabilidade.

Neste artigo iremos explicar um pouco sobre como funciona o uso do blockchain na rastreabilidade dos resíduos sólidos e quais os benefícios que isso traz para as empresas e para a gestão de resíduos em geral.

 

Como funciona a rastreabilidade na gestão de resíduos

A gestão de resíduos é um processo muito importante para as indústrias consideradas grandes geradoras. Através dessa gestão, é possível avaliar perdas e ganhos durante a produção, meios de gerar receita vendendo ou comprando materiais recicláveis/reutilizáveis, além de garantir uma destinação adequada ao resíduos pós produção, evitando que estes acabem em locais inaptos, inadequados ou até proibidos – o que causaria uma grande dor de cabeça para os responsáveis.

Para explicarmos de uma maneira mais simples do que toda a complexidade que esse processo envolve, podemos dizer que basicamente a gestão dos resíduos começa a partir do momento em que acaba o processo produtivo. É nesse momento que você se pergunta: o que eu faço com essa parte que eu não vou usar mais?

Para isso, a ajuda de um software ambiental é imprescindível. Através dele o operador consegue separar os resíduos por tipo de material, depois é feita a pesagem, e então, é contatado um transportador específico para levar aquele resíduo até a sua destinação final.

Porém, nada disso é tão simples como parece. Existem alguns pontos que necessitam de grande atenção. São eles:

Transportador: é necessário ver se o transportador está com todas as suas licenças em dia e qual o histórico dele – se é uma empresa idônea, se a empresa para a qual ele presta serviços atende as legislações ambientais ou se é um
transportador independente.

Destinação final dos resíduos: primeiro deve-se determinar se esse resíduo irá para uma cooperativa de reciclagem, para uma empresa compradora ou para um aterro sanitário. Isso é determinado de acordo com o material ou com a composição do resíduo.

A partir desta determinante, é preciso avaliar as condições do receptor – a empresa geradora (responsável pelo resíduo) deve se certificar de que os locais estão devidamente certificados e respeitando as normas e legislações ambientais e da política nacional de resíduos sólidos (a PNRS). Isso vale para todos os destinos.

Sabemos que é muito difícil estar seguro de todas essas informações e “burocracias” necessárias para a destinação adequada dos resíduos, é aí que entra a tecnologia blockchain para facilitar.

 

Benefícios da tecnologia blockchain na rastreabilidade

Quem está por dentro desse mundo da tecnologia de dados, sabe que o blockchain consiste em uma cadeia de informações que são validadas por todos os entes participantes, portanto, quanto mais vezes uma informação for validada, mais segura ela é.

Da mesma forma acontece no processo de rastreabilidade, quando protegido via blockchain, todos os entes participantes validam as informações, ou seja:

A empresa que está entregando o resíduo para o transportador coloca todas as informações em um documento digital, o transportador valida aquelas informações e leva esse material até o próximo ente, que pode ser um comprador de recicláveis, uma cooperativa ou um aterro sanitário. Ao chegar no destino final, o receptor confere e informa que recebeu. Ao final desse processo, todas as informações estão documentadas e não devem haver divergências. Isso garante segurança e transparência tanto para quem produziu o resíduo, quanto para quem transportou e quem recebeu.

 

Como a PlataformaVerde faz a gestão de cadeia produtiva via blockchain

É exatamente como descrito no parágrafo anterior, que acontece com o software da PlataformaVerde. Todas as etapas do processo de rastreabilidade dos resíduos, desde o descarte pelo gerador até o destino final, são validados por todos os entes da cadeira por meio de um QR Code. As informações ficam documentadas dentro da nossa plataforma, e podem ser acessadas de qualquer dispositivo, bastando ter um login e senha.

Além disso, na PlataformaVerde é possível cadastrar transportador e destino final, possibilitando guardar todas as informações de cada um deles, como por exemplo, licenças válidas ou vencidas, para garantir que tanto quem irá transportar quanto que irá receber aquele resíduo, estão em dia com as legislações e compliance ambiental, além de atestar confiabilidade aos entes e ao processo.

Giovanna Arcas

Analista de Marketing na PlataformaVerde.

Comentários

PUBLICIDADE