Notícias

Dicas práticas para transformar o Instagram em um canal de marketing

Por Pedro Clivati para a Contentools

 

Difícil de acreditar mas já faz sete anos desde que o Instagram foi lançado e criou uma legião de usuários (principalmente jovens de 18-30 anos) que compartilham suas vidas pessoais e profissionais através de fotos e vídeos, com os mais variados filtros.

Com 700 Milhões de usuários ativos e a incrível taxa de 400 Milhões de usuários ativos diariamente, demonstrando ser uma das redes sociais com maior engajamento registrado, nada mais natural que marcas também criarem interesse pela rede.

Atualmente, a plataforma não é mais apenas para uso pessoal. É, na realidade, uma ferramenta de alcance global que permite marcas humanizarem seus conteúdos, tornando-os mais visuais e estreitando o relacionamento com o público-alvo, seja para atração de talentos, demonstrar produtos ou inspirar suas audiências.

  • + de 95 Milhões de fotos e vídeos são compartilhados diariamente;
  • + de 75% de todos usuários são de fora dos EUA;
  • 70% dos usuários do Instagram já gastaram tempo olhando para marcas e produtos no app;
  • 80% dos usuários seguem, pelo menos, uma marca no Instagram;
  • Posts com localização marcada alcançam 79% mais engajamento;
Fontes: SimplyMeasuredDMRKissmetrics

 

Mas, como encaixar mais um canal dentro da sua estratégia de marketing? É isso que trataremos abaixo, mostrando alguns estudos de caso de perfis diferentes de empresas que alcançaram resultados com esta rede:

 

1) Escolha um propósito (objetivo)

Por que você está usando esta plataforma? Já falamos anteriormente da importância de manter os perfis das redes sociais sempre atualizados (e também da “não obrigatoriedade” de estar presente em todas as redes). Portanto, uma vez definido que o Instagram será mais um canal de relacionamento, deve se definir o que se deseja ser alcançado com a mesma. Alguns exemplos mais comuns são:

I) Atrair talentos: mostrar a atmosfera do seu escritório, a cultura da empresa, os prêmios ganhos, os eventos patrocinados;

II) Vender um produto/serviço: mostrar funcionalidades, casos de sucesso de clientes, aplicações e lançamentos;

III) Disseminar suas crenças: educação de mercado, apresentar uma inovação;

IV) Gerar tráfego para o site: direcionar mais visitantes para blog posts, landing pages ou demais conteúdos;

Para cada um dos itens acima, a linha editorial, ou os temas e conteúdos a serem publicados, serão completamente diferentes, bem como o público alvo atingido, as mensagens repassadas e as hashtags utilizadas. Portanto, comece com um objetivo bem definido.

 

2) Defina sua audiência

Entender quem é e como se comporta o seu público é um princípio básico para alcançar o sucesso desejado na rede. O seu público-alvo é formado por executivos C-Level, sempre ocupados e com pouco tempo de sobra para interagir com a rede ou é formado por publicitários e marketeiros, que utilizam a rede como ferramenta de trabalho e possuem um engajamento até 10x superior?

Isso irá auxiliá-lo a definir desde a periodicidade das publicações às mensagens e legendas utilizadas em cada publicação. Não adianta esperar um engajamento superior ao que o seu público pode oferecer – estas taxas variam de público para público.

Para entender melhor quem são e como se comportam, faça visitas nos perfis dos concorrentes, acompanhe os comentários de publicações antigas, analise as hashtags utilizadas e crie a sua estratégia não apenas com personalidade, mas também com dados reais de mercado.

Pro tip 1: faça com que a sua audiência sinta-se parte da sua história. É necessário que exista uma empatia entre as publicações da sua marca e as crenças/rotinas/dúvidas/interesse da sua audiência. Uma forma de fazer isso é com publicações com perguntas e fazendo comentário em posts de seguidores;

Pro tip 2: utilize os aprendizados de outras mídias no Instagram. Qual é a persona da sua estratégia de marketing de conteúdo e/ou inbound? Quem são os consumidores mais fiéis do seu produto/serviço?

 

3) Escolha as #Hashtags

Quando falamos de mecanismos de busca (search engines), o SEO é a estratégia adotada para atrair mais visitas e a base desta estratégia está nas palavras-chaves utilizadas.

No Instagram, apesar do algoritmo ser diferente, a lógica é parecida. As hashtags não são, nada mais, do que as palavras-chaves pelas quais você pode ser encontrado.

Ao fazer uma busca na aba de ‘Descubra‘ no Instragram, ele prioriza os resultados de acordo com 1. Palavras-chaves e 2. Localização.

Portanto, defina bem com quais as #hashtags você deseja ser encontrado, seguindo a mesma linha de raciocínio das palavras-chaves. Você pode utilizar até 30 delas por publicação.

Pro tip: seus usuários nem sempre irão buscar pelo nome da sua marca, a não ser que a mesma já tenha grande popularidade – Coca-Cola. Se este não for o seu caso, utilize hashtags de problemas que a sua solução resolve, de clichês do seu mercado, de gírias do seu público-alvo, aplicações do seu produto.

 

4) Definindo seus conteúdos

Como qualquer outra estratégia de marketing de conteúdo, existem diversas maneiras e formatos de conteúdos. Sim, o Instagram não permite muitas variações além de fotos e vídeos, porém, dentro destes formatos, ainda existem várias maneiras de lidar com conteúdo. Algumas delas são:

 

I) Estratégia de Produto

Aqui, quase que exclusivamente, o assunto em voga será a sua solução: seja ela um produto ou serviço. As imagens devem mostrar funcionalidades e aplicações e, a mensagem está basicamente dizendo aos seus seguidores; “Ei, olhe só esta nossa funcionalidade impressionante”.
A @Nikelab tem uma estratégia totalmente focada em torno dos seus produtos, olhe só:

 

II) Estratégia de Cultura

Normalmente utilizada para atrair talentos (recrutamento e seleção), mas também muito efetiva para firmar a identidade social de uma marca. Não apenas em torno dos seus produtos e soluções – não espere aqui, um aumento significativo em vendas por exemplo.

O pessoal do @Buffer tem uma estratégia em torno da cultura interna da empresa (dia-a-dia) e também imagens que representam seus valores e sua visão de mundo:

 

III) User Generated Content (UGC)

Bastante utilizado por empresas que já possuem uma popularidade relevante nas redes sociais e podem se aproveitar do alto volume de conteúdo gerado pelos mesmos a respeito da sua marca, para promover ainda mais o perfil.

UGC tem uma das maiores taxas de credibilidade perante os usuários. Segundo pesquisas, potenciais consumidores são mais inclinados a darem credibilidade à um conteúdo gerado pelos próprios usuários do que por marcas;

O pessoal da @Wayfair, que comercializa produtos de decoração de interiores, costuma compartilhar imagens de aplicações dos seus produtos compartilhadas por outros usuários:

 

5) Dicas Extras:

1. Entre em contato com influencers e trabalhe com os mesmos para aumentar o alcance da sua marca. Tome um cuidado especial aqui, garanta que o público-alvo do seu influencer está bem alinhado com a audiência desejada e que o mesmo possui uma boa credibilidade e reputação perante os mesmos (um número grande de seguidores não garante este alinhamento).  Sugestão de leitura: Os benefícios do Marketing de Influência para sua estratégia de conteúdo

2. Tag de produtos: a pouco tempo atrás, o Instagram permitiu que marcas colocassem tags em seus produtos e direcionassem cliques para os seus sites/blogs/e-commerces. Desta forma, o Instagram estimula marcas a divulgarem seus produtos na rede e aumentar trafego/vendas.

3. Ads: existe duas principais formas de publicidade no Instagram. Sendo a primeira Photo Ads e a segunda Stories Ads. Ambas estratégias permitem que marcas aumentem o alcance sem, necessariamente, ter um volume alto de seguidores. Aqui é importante que as dimensões das imagens estejam bem alinhadas com o restante. Os dois modelos também suportam vídeos e imagens.

Compartilhamos alguns exemplos de como marcas tem utilizado esta rede social para engajar usuários, atrair talentos, aumentar popularidade, etc. Existem muitas aplicações possíveis e os benefícios para marcas são enormes, o importante, como qualquer outro canal de marketing, é que a estratégia seja implementada com consistência e frequência. Não crie um perfil por que todos estão ali. Crie um perfil por que isso trará benefícios para a sua marca.

Como o próprio nome já diz (INSTAgram), a rede tem o propósito de ser instantânea, em real timing, o que significa que integrações que permitem ‘publicações’ não estão habilitadas para o usuário (isso faria com que a rede perdesse a pegada instantânea). Porém, já é possível automatizar a gestão do processo e os agendamentos.

 

*A matéria foi publicada, originalmente, no site da Contentools.

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:

Projeto mantido por:

Media Partners:

Projeto hospedado por: