Notícias

Principais erros que as empresas cometem na gestão de dados

Falta de planejamento, traçar metas a partir dos resultados da concorrência e uso excessivo do big data são alguns dos erros das organizações na gestão de dados

 

Ariane Maia, diretora executiva da A² BI – empresa especializada em gestão de dados, apresenta alguns dos erros mais comuns no trabalho de análise dos dados coletados pelas empresas nos dias de hoje. Segundo a especialista, são muitas as fontes de informações, entretanto, diversas empresas pecam nos mesmos pontos.

 

# 1 – Se não sabe para onde ir, o caminho é mais difícil

Um dos erros mais cometidos na gestão de seus dados é a falta de planejamento estratégico. O processo de planejar envolve analisar as ações e  olhar com mais clareza o caminho para tomadas de decisões e definição de objetivos e metas.

Sem um planejamento, não há como avaliar se os objetivos foram alcançados e a definição de próximos passos pode ser mais nebulosa. Por mais alterações que um plano tenha na trajetória, consegue ainda mostrar uma direção. Mas, cuidado com as metas inalcançáveis, para não chegar ao fim do caminho sem ter alcançado nenhum dos objetivos.

# 2 – Não seja tão simplista

Não é porque você contratou a melhor ferramenta de análise que você terá sucesso com o marketing. Na gestão estratégica dos dados coletados pelas empresas, um dos principais erros é considerar simples o manuseio das informações, e que apenas com uma boa ferramenta conseguirá colher bons frutos.

A máquina fornece os dados para contribuir na tomada de decisão. No entanto, a estratégia ainda é humana, e os profissionais que trabalham com dados precisam ir além dos números, a partir do raciocínio lógico, identificando as oportunidades durante o processo.

# 3 – Deixar-se levar pelos outros

Cada empresa deve escolher a métrica a ser utilizada para sua realidade, e não adianta traçar suas metas a partir dos resultados dos outros. Você pode monitorar as ações dos concorrentes, mas tendo em mente que cada empresa tem a sua realidade e o seu momento.

Analisar a concorrência, formatar um benchmarking, é importante para o negócio. Mas, lembre-se, conhecer o concorrente não significa copiá-lo, representa conhecer o próprio mercado, antecipar ações e inovar. Identifique quem são os seus concorrentes, monitore o que está acontecendo no ecossistema e pense no seu negócio.

Não contrate uma ferramenta para a análise de dados porque o seu concorrente contratou, contrate se, analisando o seu negócio, a solução faz sentido.

# 4 – Nem tudo é Big Data

Hoje em dia, o termo Big Data se tornou muito comum e utilizado erroneamente. É preciso analisar o que é realmente o Big Data e ver se isso realmente tem a ver com a empresa ou se pode ser mais um desperdício de dinheiro na compra de uma tecnologia, ao invés de um investimento.

O Big Data é o tratamento de um grande volume de dados, estamos falando de operações amplas. As empresas também precisam pensar em soluções de Small Data, que se refere a pequenas quantidades de dados gerados no dia-a-dia e que não são analisados com o devido cuidado. Esses dados já são capazes de reunir informações importantes sobre os clientes e auxiliam na tomada de decisão.

Decisões erradas geram custos, no entanto, as tentativas são válidas como aprendizado. O importante é ter consciência do que se precisa contratar e de onde investir – dinheiro e esforços. Errar não é o problema, entretanto, não analisar o mercado antes, nem planejar as ações de marketing com antecedência e querer copiar os outros, com certeza, são.

 

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:

Projeto mantido por:

Media Partners:

Projeto hospedado por: