Notícias

OmniChannel é um dos desafios do varejo em 2014

Fonte: Computer World

A integração dos canais de vendas, ou .OmniChannel, se tornou essencial para sobrevivência da indústria de varejo, defenderam especialistas durante a 103º Retail’s Big Show 2014, realizada esta semana pela National Retail Federation (NRF), em Nova York (EUA).

Segundo eles, não existe mais fronteira entre mundo virtual e online, uma vez que o consumidor quer receber tratamento único e efetuar suas compras em qualquer um dos estabelecimentos, não importa se está em lojas reais ou via e-commerce pelo PC, smartphone ou qualquer outro dispositivo.

“Atualmente, os varejistas estão trabalhando com banco de dados diferentes para cada canal de venda, sem integração entre o mundo virtual e o real”, constata Half Kern, vice-presidente global de Retail Business da SAP. Ele afirma que os comerciantes têm que colocar o conceito de OmniChannel em prática para terem visibilidade integrada das vendas e enxergar o consumidor de forma única, independente do canal que ele está acessando.

Assim, o consumidor pode fazer a pesquisa de um produto pela loja virtual e concluir no ponto de venda físico. Caso o produto que ele gostou não esteja disponível no estoque do site, a empresa pode informar o estabelecimento físico mais próximo de onde ele está que possui o item para pronta entrega. Desta forma, o cliente pode finalizar seu pedido no estabelecimento real.

“O OmniChannel permite que as companhias usem um único banco de dados para visualizar o seu inventário”, afirma Kern. O novo conceito propõe também apoiar ações unificadas em lojas, sites e aplicações móveis.

Elias Chatah, executivo responsável pela unidade de varejo da SAP Brasil, acrescenta que a estratégia de OmniChannel contribui para planejar sortimento de produtos, gerenciar promoções, apoiando as equipes de marketing, comercial e todo o canal de distribuição.

Mobile commerce 

Com aumento da mobilidade, Kern prevê um aumento do mobile commerce, chamando a atenção dos varejistas para essa tendência. Para acompanhar esse movimento, a SAP aproveitou a 103º Retail’s Big Show 2014 para demonstrar pela primeira vez suas ferramentas de e-commerce herdadas com a compra em agosto da Hybris,fornecedora suíça de tecnologias de comércio eletrônico.

Durante o evento, a SAP mostrou uma aplicação que pode ser usada integrada com soluções para merchandising em novelas e filmes. O produto integrados com dispositivos móveis permite ao consumidor que estiver assistindo TV, por exemplo, comprar o vestido usado pela personagem ou qualquer outro produto com apelo de venda do ambiente em que a trama se passa. Ao baixar um app, os clientes recebem um sinal sonoro e podem efetuar o pedido online. Segundo Kern, essa tecnologia já está sendo testada por uma companhia canadense.

A SAP aproveitou a NRF 2014 também para apresentar ao varejo o aplicativo Shopper Experience, que vem com a missão de transformar a experiência de compra do consumidor por meio do compartilhamento nas mídias sociais, programas de fidelidade e um sistema de autopagamento.

A produtora alemã de software para gestão empresarial (ERP) mostrou ainda a versão mais recente da aplicação móvel SAP Retail Store Ops Associate, que permite aos colaboradores de lojas varejistas consultarem preço e estoque de itens, sem sair do lado do consumidor.

Chatah, responsável pela divisão de varejo da SAP Brasil, observa que os consumidores estão utilizando mais os dispositivos móveis para pesquisar informações sobre produtos e que os comerciantes têm oportunidade para personalizar o atendimento e fazer ofertas direcionadas aos clientes.

O executivo menciona, por exemplo, campanhas que as lojas podem fazer quando perceberem que determinado consumidor chegou ao estabelecimento. Com base em apps baixada pelo consumidor, o varejista pode avaliar hábitos de consumo dele e interagir com ele via SMS.

Com a necessidade do varejo de se aproximar mais do consumidor, a SAP está investindo pesado para entregar novas soluções a esse setor. “A SAP definiu o varejo como um dos segmentos estratégicos. É um setor que gera muitos dados e que vai precisar se apoiar e muita tecnologia”, acredita Chatah.

Depois de seu ERP de retail, uma das grandes apostas da SAP para ganhar espaço nesse segmento é a plataforma Hana, banco de dados in-memory para estratégias de Big Data. Chatah ressalta que essa tecnologia não nasceu para atender o varejo, mas que tem apelo forte no setor pela sua necessidade de tratar informações e analisar o comportamento dos consumidores.

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.