Notícias

Content e Mobile 2016 traz urgência para ações com mobilidade e aborda tendências

Cobertura e texto por Gabriela Manzini

 

Diretor do Digitalks, Flavio Horta, anuncia Martha Gabriel como nova integrante da equipe.
Diretor do Digitalks, Flavio Horta, anuncia Martha Gabriel como nova integrante da equipe.

Com foco em conteúdo, devices e mobilidade, a Conferência Digitalks Content e Mobile 2016 abordou pontos importantes sobre o marketing digital para o mobile, falando de tendências, mostrando cases e trazendo um panorama de como o brasileiro já está utilizando a mobilidade, especialmente o smartphone, dentro de sua jornada de compra. O evento aconteceu nesta terça-feira, no Maksoud Plaza, em São Paulo.

A abertura inicial foi feita pelo diretor do Digitalks, Flavio Horta, que apresentou dados de mercado e falou da nova etapa da empresa, que se molda de acordo com as mudanças do marketing digital no país. “No ano passado, conseguimos chegar em todas as capitais brasileiras, atingindo 55 mil pessoas dentro de todas as nossas atividades. O marketing digital começa a passar por uma nova etapa. O nosso modelo de negócio era de levar conhecimento. Agora, entramos numa era em que o consumidor está mais exigente. Nossa ideia não é apenas trazer palestras e ditar regras. A ideia aqui é co-criar com o mercado.

Horta também anunciou oficialmente a entrada da profissional de marketing digital Martha Gabriel no time do Digitalks. A especialista integra a equipe de curadoria dos eventos.

Em seguida, o sócio líder de digital da PwC Brasil, Sergio Alexandre, falou um pouco da revolução digital que estamos passando e as tendências que motivam a transformação do comportamento humano. “Esse é o ano da transformação, em que acontece uma grande mudança do perfil do consumidor de internet: aquele pessoal de 60, 50, 40 anos fica para trás, e os de 20 e 30 começam a consumir mais internet. E aqui, principalmente, muda a jornada de compra para uma forma muito diferente do que a gente tem vivido até então. Estamos sendo cada vez mais monitorados e, como diz meu filho, ‘A vibe é essa’”, disse o executivo.

Ele apresentou os três pilares que as empresas precisam considerar em termos de mobile.

 

Dados e comportamento do consumidor

No primeiro painel, mediado pelo diretor de Marketing da Cruz e Ferreira, Armindo Ferreira, os participantes falaram de tendências além do Data e de como a tecnologia precisa ajudar e facilitar a “mineiração os dados colhidos” e não pode nunca “atrapalhar” ou se tornar um empecilho.

Para o gerente de Mobile Marketing do Buscapé, Fabio Sakae, “o mobile não é uma tecnologia, é um comportamento”. Ele acredita que ainda não conhecemos por completo o usuário do mobile porque esse comportamento é muito instintivo, assim, ainda estamos na fase de coletar dados para saber ao certo como agir.

Já o CEO do +Digital Institute, Francisco Gioielli, que trabalha com diagnóstico de maturidade digital para empresas, também falou da importância dos dados para melhorar a experiência do consumidor no mobile, a fim de que ele converta mesmo que seja em cross-devices. “O User Experience tem que ser cada vez mais maximizado. Em conjunto de uma mineiração de dados, para que você consiga mostrar a mensagem que mais lhe interessa e traga mais resultados.”

 

Conteúdo e Automação de Marketing

A partir dos painéis seguintes – mediados pela líder responsável pelo conteúdo e curadoria nos eventos da Digitalks, Vivian Vianna – foi possível discutir um pouco mais temas como o Inbound Marketing e a automação do marketing como estratégia de negócio.

Painel Inbound marketing | Como gerar conteúdo de qualidade para atrair leads segmentados
Painel Inbound marketing | Como gerar conteúdo de qualidade para atrair leads segmentados

Assim como antecipou em entrevista para o Digitalks, a CEO da Contentools, Emília Chagas, falou um pouco sobre os primeiros passos para quem quer começar uma estratégia de Inbond Marketing para a sua marca e também os próximos passos para escalar esse trabalho já começado. “70% do processo de compra é feito previamente, antes mesmo do cliente conhecer a empresa. Aí entra o Inbound para antecipar essas dúvidas que o cliente vai ter. É a mudança de mind set”, comentou.

>> Inbound Marketing: um pouco do que você verá na Conferência Digitalks

O consultor Mobile da Hook Digital, que é representante da HubSpot no Brasil, Gustavo Silva, falou de frequência e como isso importa no conteúdo para mobile. “Esse é o momento que [a empresa] tem para conversar com essa pessoas, trazer conteúdo segmentado, travestido de ferramenta que pode usar no dia a dia. A empresa ganhou uma equipe de vendas, um mordomo 24h por dia entregando valor.

Por fim, o diretor de Soluções Estratégicas do Yahoo, Marcelo de Paulos, explicou como definir o conteúdo a ser criado. “Quando a marca é autoridade em um assunto que faz parte do seu DNA, produzir conteúdo é natural.

Nessa linha, os participantes Eduardo Correia, Country Manager da SharpSpring Brasil, Ricardo Rodrigues, fundador e CEO da Social Miner, e Anna Helise Raad, Community Account Manager Brazil da Wix, debateram ainda como a automação de marketing facilita este e outros processos da rotina dos profissionais e também a importância de se apostar no site como centralizador das informações da empresa.

 

Gerando negócios com o YouTube e os YouTubers

Sem dúvida, esse foi um dos pontos altos do evento, de acordo com quem assistiu às palestras e debates.

5605_v2
Dos bastidores: foto da foto. No palco, Julio Zaguini do Google / YouTube.

Carismático, o diretor do Google / YouTube, Julio Zaguini, entretou e inspirou a plateia ao trazer vários exemplos de como gerar negócios, mostrando youtubers e marcas que se aproveitam desse potencial dos influenciadores. O YouTube criou um Framework bastante simples que ensina como as marcas podem se apropriar do conteúdo já feito na plataforma de vídeos ou trabalhar com eles de forma eficiente – o Digitalks trará em primeira mão essas dicas em breve, aqui no portal!

Ele também alertou sobre a necessidade de produzir conteúdo em vídeo especificamente pensando no Mobile. “Vemos um crescimento de 60% ano a ano. No mobile, a sessão média de views dura mais de 40 minutos. Hoje, a maioria dos vídeos já é visto em um device móvel. No Brasil, de 100 milhões a 160 milhões de pessoas. Se a oportunidade já é desse tamanho, em três anos será absurdamente maior, com uma tendência de ser ainda maior”, comentou.

Mediado pelo fundador da Videolog e Business Development da Code Fellows, Edson Mackeenzy, o debate que seguiu a palestra tratou de real time marketing, vídeos e influenciadores. A youtuber Malena 0202 falou um pouco da sua experiência com ações de marcas e o porquê as empresas devem olhar para esse profissional com mais atenção.

Acompanhada e auxiliada pela diretora de operações da Digital Star, Luiza Freitas, elas comentaram como esta é a “Era do Influenciador”. “As marcas estavam preocupadas com a casa que era preparada para eles. Mas as marcas também vão na casa dos outros e essa é a grande questão do influenciador. As pessoas fazem ‘merchan’ com paixão, se não, não vai funcionar”, explicou Luiza. O painel teve também a participação do CMO do Celebryt’s, Ariel Alexandre, e do CEO da Media Response, Eriko Bagatim.

 

Real Time Marketing e como fazer

Na parte da tarde, as palestras do Twitter – feita pela diretora de Vendas, Gabriela Comazzetto – e o painel que se seguiu também abordaram o Real Time Marketing.

Com cases super bacanas, Gabriela trouxe 10 formas de usar o tempo real para gerar negócios – material que o Digitalks disponibilizará em breve com exclusividade!

Veja alguns momentos da palestra compartilhados em nosso Twitter:

>> VÍDEO 1

>> VÍDEO 2

Já o debate sobre desafios e estratégias nesse setor, mediado pela diretora do Digitalents, Sandra Turchi, falou de como acompanhar o conteúdo produzido nas redes sociais e gerar oportunidades para a marca com o menor risco possível. “É importante pensar no contexto, porque tem algumas marcas, realmente, que não precisariam ser relevantes monitorando esse tipo de comportamento [em tempo real]. Você tem que entregar uma resposta que seja relevante para o consumidor”, opinou o diretor de Content Marketing da Associação Era Transmídia / iProspect, André Campos.

Sobre os riscos de se tornar Real Time, a coordenadora de Marketing da Seekr, Bianca Borba, ponderou que é importante testar, ousar, mesmo que os ajustes tenham que ser feitos ao longo do tempo. “Tem que ser testado e nem todos os casos vão ser perfeitos. Às vezes você vai pegar um agressor, que vai ter raiva da marca, por exemplo, mas tem que pegar para testar e colocar para rodar mesmo assim.

 

Hábitos de uso e estratégias de Engajamento Mobile

Por fim, a parte da tarde também contou com muitos dados ricos sobre como o consumidor está usando o mobile atualmente e como as marcas podem se engajar a partir desses comportamentos. A keynote internacional Christina Choy, gerente de Pesquisa de Mercado do Yahoo!, trouxe boas comparações entre o uso do mobile e, especificamente dos apps para smartphones, por parte dos brasileiros. E também fez uma comparação com o uso dos americanos e a média global – o Digitalks traz uma matéria exclusiva apenas sobre essa pesquisa!

A pesquisadora também falou de tendências de hábitos de consumo. “Em três anos, metade dos usuários dos smartphones no Brasil devem ser dominantes [tipo de classificação da pesquisa]. A maioria do público está em aplicativos no Brasil: 88% do tempo gasto em smartphones é feito em apps em posição ao browser. Não são só comportamentos, mas também as atitudes que estão mostrando que os brasileiros preferem a experiência no aplicativo”, declarou a americana.

IMG_5613
Em primeira mão, Christina Choy mostra pesquisa sobre uso do mobile no mundo e pelos brasileiros

Já o profissional de Soluções para o Cliente de IBM Marketing Cloud, Éber Gustavo, também keynote do evento, afirmou que, antes de investir em um aplicativo, é importante entender a importância dos dispositivos móveis e de se ter um app. “Como o cliente começa a jornada de compra comigo? Como ele converte? Qual o canal que finaliza comigo? Existem ferramentas para descobrir isso. Conhecer a jornada do cliente é o que vai fazer a diferença. Conhecer o cliente, o processo de compra dele é o mais importante. E definir personas: as pessoas que compra o seu produto.

 

Site responsivo ou App? 

O tema seguiu para a discussão específica sobre sites responsivos, websites mobile ou aplicativos: qual a melhor escolha para cada empresa?

Participou do debate o gerente de e-commerce da Saraiva, Adilson Rielo, que contou um pouco da experiência da livraria em se tornar mobile. “A taxa de conversão no mobile [para nós] ainda é menor do que no desktop, porque as pessoas usam muito o celular/tablet para pesquisa e acabam convertendo ou na loja física ou no computado”, comentou o executivo. O painel teve também a participação do COO da CRP Up, Diego Puerta, o fundador e CEO da Apiki, Leandro Vieira, e o gerente de e-commerce da Locaweb, Euvaldo Junior.

Para encerrar o evento, João Carvalho, integrante do comitê de Mobile do IAB Brasil falou sobre o novo livro digital produzido pela instituição com profissionais do mercado digital. “Nossa ideia é tentar colocar todo mundo na mesma página sobre o que é mobile advertising. Já temos publicidade através de dispositivos móveis sendo planejadas, criadas e segmentadas, produzidas e principalmente analisadas no canal”, contou. O livro será disponibilizado em breve.

>> Investimento em mídia digital em 2016 subirá 12%, para R$ 10,4 bi

 

O próximo evento de grande porte do Digitalks será o Fórum de Marketing Digital, que acontecerá em Florianópolis, em 26 de abril.

>> Veja o que vai rolar no Fórum de Marketing Digital de Floripa

 

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:

Projeto mantido por:

Media Partners:

Projeto hospedado por: