Notícias

Como usar o Google Analytics: um guia para os iniciantes

Conhecimento é poder: esta regra é verdadeira para tudo na vida e seu site não é nenhuma exceção. Para otimizar sua presença online, você precisa conhecer seu público e compreender o que ele procura. Isto vai te ajudar a dar forma à sua voz, a focar nas necessidades de seus visitantes, a melhorar seu conteúdo e claro, ao final do dia, se certificar que os motores de busca dão ao seu site o ranking que ele merece. E qual a melhor plataforma para analisar seu tráfego? O Google Analytics!

A gente sabe que alguns de vocês já começaram a suar só de escutar as palavras “Google” e “Analytics” concatenadas na mesma frase. Felizmente, a missão do blog do WIX não é apenas te ajudar a criar um site incrível, com toda a facilidade, mas também ter a certeza de que você consegue dominar todas as ferramentas que vão te ajudar a trilhar esse caminho.

Hoje jogamos uma luz sobre o mundo complexo das estatísticas online e queremos mostrar de uma vez por todas como usar o Google Analytics à perfeição. Um pequeno artigo para você ler, mas um grande salto para a otimização do seu site.

Nota: Quer conectar seu site Wix ao Google Analytics? Veja aqui como fazer.

 

Público: Quem são? Onde vivem? Do quê se alimentam?

A primeira coisa que você precisa entender ao analisar seu tráfego: quem são seus visitantes e como estes estão consumindo seu conteúdo. E quem melhor que o Google para dar essa resposta? Na plataforma, você vai encontrar centenas de informações úteis em relação a esse assunto na seção “Público”. A seguir veja uma análise dos diferentes tipos de informação que você pode usar.

 

Visão geral do público: qual o sucesso do seu site?

Naturalmente, antes de começar a se aprofundar nos detalhes dos seus visitantes, você precisa verificar quanto tráfego está chegando em seu site. Afinal, é assim que você pode determinar o sucesso dele:

  • Sessões: quantas visitas você tem? As Sessões representam o tráfego geral do seu site. Em outras palavras, você vai ver o número total de visitas em suas páginas de acordo com a data que você definiu. Cada vez que alguém navega em seu site é contabilizada, por isso você pode ter diversas sessões para a mesma pessoa.
  • Usuários: quantas pessoas visitaram pelo menos uma vez? O parâmetro Usuários indica o número de pessoas que passaram pelo menos uma vez pelo seu site. A diferença entre Sessões e Usuários é basicamente a quantidade de visitantes que retornam. Quanto maior o número de visitantes que retornam ao seu site, mais engajado está seu público! Veja no print de tela abaixo como aparece a divisão do seu público no gráfico de pizza.

 

Visão geral do público: como se comportam?

Agora que você já conhece todo o panorama é o momento de descobrir o que estas pessoas realmente fazem no seu site. O Google observa atentamente o comportamento do seu público para poder entender a qualidade do seu conteúdo. As observações a seguir são as mais importantes:

  • Visualização de páginas e Sessões de Página: em quantas páginas estão navegando? Naturalmente, quanto mais páginas forem vistas e lidas, melhor para seu site. Claro que para ter uma compreensão precisa da qualidade do seu conteúdo, você precisa levar em consideração em quantas páginas, em média, navega cada visitante. Para saber isso você deve dar uma olhada na seção Página/Sessão.
  • Duração em média da Sessão: quanto tempo estão ficando? O nome já diz tudo: se seus visitantes ficam algum tempo no seu site significa que seu conteúdo é relevante para eles. Isto é um grande indicador para o Google.
  • Taxa de rejeição: você é o que eles estão procurando? A sua taxa de rejeição mostra qual a porcentagem dos visitantes que saíram sem qualquer interação com seu site, o que significa que não clicaram em nada. Por isso, a plataforma não vai poder rastreá-los e a duração dessa sessão vai ser contabilizada com 0 segundos: isso é muito triste! Basicamente, se uma pessoa encontrou você no Google e saiu assim que chegou no seu site, significa que provavelmente você não está mostrando a informação correta ou não está usando as palavras-chave certas. Só para deixar tudo bem claro: quanto menor sua taxa de rejeição, melhor é sua taxa de rejeição.

Quanto melhores forem estes parâmetros, maior será a probabilidade dos motores de busca considerarem seu conteúdo como valioso e importante – #Sucesso.

 

Público: afinal, quem são?

Agora vamos para a parte mais séria. Se você quer falar para seu público usando a voz certa, é melhor saber quem ele é. Por exemplo, você fala de uma forma diferente para adolescentes do que fala para os idosos. Você também precisa adaptar para a linguagem local tudo o que escrever. Localizar seu público vai ajudar a focar sua estratégia de marketing na região certa e adequar de forma geral sua identidade visual. O ponto é o seguinte, uma empresa de consultoria financeira em São Paulo vai ter uma aparência totalmente diferente de uma organização que promove a terapia do abraço no interior dos Estados Unidos – sim, sim, isso existe de verdade, pode procurar no Google se quiser. Para se certificar que você está alcançando o público-alvo certo (e fazendo isso da melhor forma possível) há dois parâmetros críticos nos quais você deve dar uma conferida:

  • Demografia do público: qual a sua faixa etária? Nesta seção, você vai encontrar a idade de seus visitantes e também seu gênero. Vamos usar um exemplo que mora no nosso coração. No nosso blog, temos leitores de todas as idades, mas a maior faixa etária fica entre os 25 a 34 anos. Depois de dizer isto, saibam que amamos a todos vocês não importa a idade ou localização.
  • Geolocalização do público: de onde é? A geolocalização pode mostrar tanto o idioma como a localização física dos seus visitantes. Não é necessário ter um debate metafórico a respeito desses dados – os números dizem tudo.

Aquisição: de onde estão vindo?

Conhecer seu público é muito bom. Saber de onde vêm essas pessoas é ainda melhor. Quando dizemos “de onde vêm” não estamos nos referindo à localização física, ao invés disso estamos falando da fonte online que os levou até seu site. Você é um usuário avançado do Facebook ou um mestre do SEO? Será que é a sua newsletter que está trazendo a maior parte do seu tráfego ou são seus anúncios que estão bombando na Web? Bem, só há um local para encontrar essas respostas: a seção “Aquisição” do Google Analytics. As sete principais fontes de tráfego estão detalhadas a seguir:

  • Busca orgânica: a galera do Google. Este número representa a quantidade de pessoas que encontrou você nos motores de busca. É um número alto? Muito bom, provavelmente você está usando as palavras-chave certas. Se não é assim, definitivamente você deve fazer uma pesquisa sobre palavras-chave. Agora a cereja no sundae: se aprofundando um pouco, você vai encontrar algumas das palavras-chave que estão trazendo tráfego para seu site. É sempre útil mesmo que você não consiga ver o quadro por inteiro.
  • E-mail: os leitores.  Esta análise vai te mostrar quantos visitantes estão chegando através da sua newsletter. Simples assim.
  • Direto: os fiéis. O tráfego direto indica o número de visitantes que digitam seu endereço em seus browsers. Em outras palavras, provavelmente aquelas pessoas que mais te amam – depois da sua mãe.
  • Social: os seguidores. Você é mais viciado nos 280 caracteres do pássaro azul ou mais amigo do Zuckerberg? Dê uma checada no seu tráfego social e você vai saber quantas pessoas estão vindo de quais plataformas.
  • Busca pagaos consumidores. Se você gasta uma parte do seu orçamento em anúncios, vai ver se o que você gasta está trazendo “leads”.
  • Referência (Referral): os perdidos. No seu tráfego de referência (referral traffic) você vai encontrar, em diferentes categorias, todas aquelas pessoas que vieram de outros sites que têm link para o seu. Digamos que um blog sobre queijo mozarela menciona a sua pizzaria e tem um link para seu site. Nesta categoria você vai poder rastrear as pessoas que clicarem neste link. Seu sortudo!
  • Outros: todo o restante. Nesta seção estão incluídos todos aqueles visitantes que o Google não conseguiu nas seções anteriores. Por que mesmo o Google falha. Às vezes.

Comportamento: o que estão consumindo?

Estamos quase lá. Vamos só entender rapidamente a seção comportamento antes de terminarmos. Esta categoria te mostra qual a página do seu site que faz mais sucesso. Será que é a sua página inicial que está fazendo sucesso, ou são seus produtos que estão brilhando? A categoria Comportamento mostra as páginas que estão trazendo tráfego dividido por segmentos. Para os blogueiros, aqui é onde fica o tesouro uma vez que podem saber precisamente quais artigos ou tópicos fazem mais sucesso – a curto e a longo prazo. Compreender quais páginas fazem mais sucesso vai te ajudar a definir como se dedicar a cada parte do seu site e também a refinar seu SEO (Search Engine Optimization, Otimização dos Motores de Busca).

 

Conclusão

O Google Analytics vai te ajudar a alcançar um nível de precisão que você jamais imaginou. Você pode explorar a seção conversões para determinar as metas para seu site, descobrir quais navegadores ou dispositivos seu público usa ou até ver em tempo real os visitantes que entram e saem do seu site. As possibilidades são quase infinitas!

 

*Este texto foi publicado originalmente no blog do Wix

 

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:

Projeto mantido por:

Media Partners:

Projeto hospedado por: