Notícias

Como o Growth Hacking pode impulsionar o crescimento da sua empresa

Growth Hacking combina criatividade, dados e métricas com objetivo de gerar crescimento rápido

Por *Bianca Borges

 

Você já ouviu falar de marketing orientado a experimentos? Mais conhecido como Growth Hacking, essa técnica utiliza a criatividade, os dados e as métricas para criar estratégias que proporcionem um crescimento rápido para uma empresa.

O Growth Hacking tem sido utilizado tanto por organizações de grande porte como startups e também foi um dos destaques do Expo Fórum de Marketing Digital, principal evento de marketing da América Latina, que aconteceu em São Paulo. Para abordar o tema, foram convidados quatro especialistas internacionais, entre eles: Vazil Azarov, fundador da Growth Marketing Conference, que apresentou os demais participantes e comandou a entrada de cada um deles no palco.

Vazil Azarov, fundador da Growth Marketing Conference liderou o workshop sobre o tema no Expo Fórum de Marketing Digital

 

O primeiro a falar para os participantes do evento foi Sujan Patel, co-fundador da Web Profits. O especialista explicou que, para ter sucesso, a cultura do Growth Marketing deve estar inserida em todas as áreas de uma organização.

“Em primeiro lugar você precisa ter uma mentalidade de crescimento e isso não vem de uma pessoa só. O crescimento é um esporte de equipe. Você precisa garantir que sua equipe te apoie nisso”.

 

Patel deu algumas dicas para que as organizações consigam ter efetividade na técnica de Growth Hacking. Veja algumas delas: 

Sujan Patel, fundador da WebProfits, falou sobre a importância de solucionar os problemas dos clientes e aumentar o tráfego

 

Criatividade não é o bastante

Para impulsionar uma empresa com a técnica de Growth Hacking, não basta apenas ser criativo. É necessário se basear em dados, entender o que deu errado e o que pode ser feito para melhorar. Tudo isso utilizando os mínimos recursos. Além disso, é essencial definir quais são as métricas mais importantes para o seu negócio.

 

Você não vai ser o melhor em tudo

Outro fator importante citado por Patel foi que as empresas precisam se conscientizar que não é possível ser sempre a melhor em tudo, independente do seu tipo de negócio.

“Eu gosto de dizer: veja os três pontos principais nos quais você é bom. Você pode não dominar todos os canais de comunicação, por exemplo, mas pode ser excelente em algum deles”.

 

Aumente o tráfego de clientes

De acordo com especialista, as empresas deveriam dedicar 40% do seu tempo para aumentar o tráfego de clientes, afinal sem um número considerável de consumidores ativos nenhuma empresa consegue impulsionar os seus negócios. “Foque toda a sua energia em ativar o seu cliente”, salientou.

 

Solucione os problemas do seu cliente

Não adianta apenas converter os leads em clientes se, posteriormente, você não os analisar e não procurar entender suas necessidades e interesses. Você precisa descobrir “que problemas os seus clientes têm na vida e se você resolver esses problemas, aí terá clientes felizes que te trarão ainda mais clientes.

 

Atenção aos pontos de atrito!

Para aumentar a taxa de conversão é preciso resolver os pontos de atrito. “Se você tem uma loja de e-commerce, quando o cliente pega o cartão de crédito, ele pode ficar na dúvida se vai comprar ou não aquele produto. Eu uso um live chat, aí se a pessoa está na página e demorou para inserir os dados, pergunto se ela tem mais alguma dúvida e como ainda posso ajudá-la. E eles respondem e, geralmente, fecho a venda”.

 

Logo após a palestra de Patel, Jamie Smith, CEO da Campaign Watch, subiu ao palco. O executivo comentou sobre a necessidade de analisar a sua empresa, o mercado no qual ela atua e a concorrência em relação ao seu negócio.  

Em sua apresentação, Jamie Smith, CEO da Campaign Watch, ressaltou que é fundamental analisar detalhadamente a concorrência para progredir nos negícios

 

“Será que você tem um concorrente que copia o seu anúncio ou você é o concorrente copiando empresas maiores que a sua?”, indagou Smith.

 

De acordo com o CEO, esses quatro pontos que devem ser observados:

 

 

Outro conselho de Smith para as empresas foi determinar a proposta de valor dos produtos e serviços e deixar claro qual o diferencial dos itens que você oferece perante as outras opções que estão no mercado.

 

Para concluir as palestras sobre Growth Marketing, Clayton Wood, fundador da Growth Labs subiu ao palco. Em sua apresentação, o CEO compartilhou ideias que têm o potencial de aumentar o tráfego de uma empresa em 90 dias ou menos. Veja algumas delas: 

 

Hack 1 – Você não está seguindo o mantra do Google e isso esta afetando o seu tráfego

De acordo com Wood, o mantra do Google é a velocidade. Por isso, o seu site precisa ser rápido se quiser ficar em uma das primeiras posições da busca. A dica dele foi utilizar o Google PageSpeed, ferramenta capaz de medir a velocidade dos sites.

“Com o PageSpeed você consegue analisar o tempo de carregamento da paginas detalhadamente e ainda entender quais são os problemas com as páginas que estão mais lentas”, explicou.

 

Wood ainda ressaltou que, para que o site de uma empresa seja considerado rápido, precisa estar acima dos 80 pontos.

 

Hack 2 – Suporte do Google para o seu site

Utilize o portal de comunicação secreto do Google, o Search Console. Por meio dessa ferramenta  você é capaz de analisar os cliques das páginas, recebe alertas de erros e problemas no seu site e ainda descobre se o Google entende o seu conteúdo.

 

Clayton Wood, fundador da Growth Lebs, deu dicas para aumentar o tráfego de clientes em um espaço curto de tempo

 

Hack 3 – Roube o trafego dos seus concorrentes

Análise os sites que publicam o conteúdo do seu concorrente e comece a publicar textos mais interessantes nesses mesmos canais.Tente também submeter seus produtos e serviços em outros sites, fazendo back links, por exemplo.

 

Hack 4 – Melhore o seu ranking orgânico de palavras-chave

Essa dica é para quem já tem um site com um bom tráfego de usuários e quer aumentar esse número ainda mais. Por meio da ferramenta Search Console, você consegue ver quantas vezes o Google mostrou para o usuário o seu site e que palavras-chave foram digitadas na ocasião. Analise quais palavras tiveram menos impressões, são essas que você precisa melhorar no ranking orgânico. Produza conteúdos de qualidade focado nessas palavras e temas.

 

*Bianca Borges é jornalista formada pela Universidade Anhembi Morumbi. Analista de Conteúdo no Digitalks, também tem experiência nas áreas de assessoria de imprensa e gestão de mídias sociais. Gosta de escrever sobre diversos assuntos mas, atualmente, seu foco é o Marketing Digital.

 

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:

Projeto mantido por:

Media Partners:

Projeto hospedado por: