Artigos

Por que o CONTEXTO precisa ser o driver das suas ações de marketing

Aposto que você já deve ter ouvido muito essa frase: “O conteúdo é rei”. Eu mesma já escrevi alguns textos sobre a função do conteúdo e a sua importância para as marcas. Porém, precisamos abrir um parêntese aqui: o conteúdo é relevante sim, mas para que ele surta algum efeito e cumpra seu papel, existe um aspecto que precisa ser o driver de todas as ações das marcas na atualidade. Esse fator decisivo é o que chamamos de CONTEXTO.

Em uma época na qual as transformações acontecem constantemente, as empresas precisam prestar atenção no contexto de vida dos seus consumidores, tentar entender o que os cerca e ser ágeis para se adaptar às mudanças que ocorrem no dia a dia do cliente.

Recentemente, estive no EXPO Digitalks, o principal evento de marketing digital do país, e assisti a palestra de Christian Muche – Co-founder Wunderguard e criador do Dmexco, que falou sobre a importância do contexto para impactar e engajar a audiência. Logo no início da apresentação, uma frase dita por Muche me chamou a atenção:

“A gente está apenas seguindo tendências ou estamos transformando nossos processos de verdade?”

Será que estamos criando e reestruturando a forma de fazer marketing aqui no Brasil, ou apenas “copiando” os modelos norte-americano e europeu?

 

Foto: Homem no palco com telão no fundo.
Christian Muche no palco do Expo Fórum Digitalks 2019.

 

É claro que o mundo está interconectado e ficar atento às novidades que surgem é essencial, mas não se trata de replicar as mesmas ações, se trata de entender se elas fazem sentido pra sua empresa e como podem ser melhoradas e adequadas ao seu público-alvo. E para realizar tal feito é preciso entender o contexto do seu target.

 

Você realmente conhece o contexto do seu cliente?

A verdade é que o mundo mudou e o consumidor também.

Para entender o contexto do cliente é preciso ir muito além da interação da compra e descobrir o que aquele produto ou serviço representa na vida do cliente. Como bem disse Muche:

“As empresas que não conseguirem explicar as relações contextuais e só focarem nos produtos sem colocar as coisas em perspectiva vão ter problemas e não serão levadas a sério no futuro. Por outro lado, aquelas que levarem o contexto em consideração serão beneficiadas e sobreviverão”.

Outra dica para se inteirar sobre o contexto do seu cliente é conhecê-lo profundamente, saber os gostos, as necessidades e, além disso, entender como todos esses dados se transformam em ações no dia a dia. Por exemplo: os millenialls e os babyboomers são gerações que baseiam muitas de suas compras no fator sustentabilidade, então podem ter preferência por marcas que defendem esse valor.

Lembre-se: as marcas não são só fontes de receita, elas também são influenciadoras. Por isso, em um mercado volátil como o atual, apenas ter uma marca conhecida não basta, é preciso que os produtos e serviços tragam benefícios reais para as pessoas e ter um propósito maior que o lucro.

 

Busque novas formas de interação

Dentro do contexto do seu cliente, encontre novas maneiras de interagir com ele.  Assim, a publicidade convidativa, citada por Muche durante a palestra, pede a opinião e a participação dos consumidores antes mesmo dos produtos serem disponibilizados no mercado.

As empresas que utilizam essa tática tendem a ter mais sucesso no lançamento dos seus produtos, pois estavam dispostas a ouvir a audiência desde o início e abertas a enxergarem outras perspectivas.

Hoje, são os consumidores que dão o feedback mais autêntico para as marcas, e aquelas que perceberem a importância dessa informação sairão na frente na corrida para conquistar os clientes.

Se no início desse artigo comecei desmistificando a frase “O conteúdo é rei”, agora, termino esse texto chamando atenção para outro fator se se tornou “a menina dos olhos” dos profissionais de marketing, mas ainda não é bem utilizado por muitas empresas: os nossos queridos dados.

Portanto, para tomar decisões hoje, as empresas se baseiam nos dados coletados. Porém, de nada adianta ter as informações disponíveis e não conhecer o contexto no qual elas estão inseridas. Dados sem contexto são apenas informações desconexas. Pense nisso!

Bianca Borges

é Analista de Comunicação da ZOLY. Jornalista formada pela Universidade Anhembi Morumbi, também possui experiência nas áreas de assessoria de imprensa e gestão de mídias sociais. Gosta de escrever sobre diversos assuntos, mas, atualmente, seu foco é o Marketing Digital e Data Business.

Comentários

PUBLICIDADE