Artigos

O que a Internet revelou no segundo ano da pandemia?

Sempre soubemos que as aspirações da população deixam suas marcas na Internet. Mas em 2021, no segundo ano da pandemia, o histórico de buscas de consumidores no País revela, com ainda mais nuances, as tensões vividas pela população no período. Enquanto muitos se adaptam à volta de um convívio social intermitente, outros ainda se veem obrigados a ficar em casa para trabalhar e estudar. Divididas entre o “preservar-se” e a retomada de encontros presenciais e viagens, as buscas “com.br” refletem essa ambiguidade.

Dados consolidados de 2021 do Radar Simplex, monitoramento mensal da Simplex dos termos mais buscados em 6 milhões de páginas de e-commerces brasileiros de grande expressão, além de informações do relatório Year in Search do mesmo período no Google, revelam desejos, temores e práticas de quem precisa lidar com desafios inimagináveis até então. Separamos aqui as buscas que mais se destacam em três categorias. Cada uma descreve uma reverberação do Covid-19 em 2021: Vida Digital, Pandemia e Estilo de Vida.

 

Radar Simplex - comportamento do usuário no segundo ano de pandemia
Radar Simplex – comportamento do usuário em 2021

 

Vida Digital

TVs, celulares e notebooks – a alta de pesquisas por esses itens pode refletir a necessidade de “estar em casa” e torná-la mais cômoda. A preocupação com as aulas que seguem online e com o trabalho que, para alguns, permanece restrito ao home office, são destaque em vários momentos do ano. De janeiro a fevereiro de 2021, um crescimento de 169% é registrado na procura por celulares e de 520% por notebooks. Já na semana da Black Friday este número é ainda maior. Há uma alta de 646% nas buscas por notebooks de novembro de 2020 para novembro de 2021.  O termo TV tem uma expansão de 262% na semana da Black Friday, ante o mesmo período de 2020.

O ficar em casa tem outro impacto nos resultados do Radar Simplex. Itens como cadeiras e mesas de escritório, assim como escrivaninha, aparecem entre os mais buscados nos e-commerces monitorados. Em paralelo, o levantamento do Google indica um aumento de 100% nas pesquisas globais para “ideias de paisagismo para o jardim” e 400% para “ideias econômicas para banheiros pequenos”. Da mesma forma, o interesse por “Carnaval em casa” vive um aumento de 110% em fevereiro de 2021.

 

Pandemia

A pandemia é onipresente e explícita no mundo online. Em janeiro, ao mesmo tempo em que uma das principais buscas detectadas pelo Google é como ajudar Manaus, a essa altura lutando contra uma explosão de casos de Covid-19, o Radar Simplex aponta uma demanda por máscaras, termo que cresce 362% em relação ao mesmo período de 2020.

Março de 2021 é um divisor de água. Nesse momento, as mortes diárias no País saltam de 53 para 1.160. É nesse ponto que as buscas por itens e temas relacionados à Covid-19 basicamente viralizam. “Quando vou ser vacinado” é a pergunta mais comum na internet em abril, segundo o Google: cresce 2.250%. A mesma preocupação se reflete no Radar Simplex. De fevereiro para março, dá-se um crescimento de 226% na procura por máscaras N95.

Desde novembro, com a aproximação das festas de Natal e Réveillon, os testes Covid e Influenza ganham relevância. Nesse mês, os dois itens sofrem uma alta de 4.550%. Em dezembro, a alta chega a 10.600%! No último mês do ano, além de os casos de infectados quase dobrarem – de 27 mil por dia no seu início para mais de 50 mil ao seu término -, a demanda por esses exames reflete a expectativa por reencontros familiares e entre amigos. Indica, ainda, a vontade de viajar. Segundo o Google, há um incremento de 600% nas buscas globais por informações a respeito de “restrições de fronteiras” e um aumento de 300% para “viagens internacionais” ao final do ano.

 

Estilo de Vida

A pandemia também impacta buscas relacionadas ao estilo de vida. O Google indica um aumento de 150% nas pesquisas online por perto de mim com mesas ao ar livre.

Depois de mais de um ano enclausurado em 2020, o amor dá as caras em 2021. O Radar Simplex aponta, em janeiro de 2021, a procura por alianças de casamento ou noivado, que cresce 105% em relação a um ano antes. No Google, as pesquisas mundiais por “micro casamento” são o dobro do registrado em 2020. 

Quem desponta com força nas buscas de internet, principalmente entre paulistanos e cariocas, é o beach tennis. Com alta de 341% de março para abril, está provavelmente ligado ao fato de a modalidade esportiva permitir um distanciamento maior entre os jogadores em quadras de areia ao ar livre.

Com a chegada do inverno, e do frio intenso – dados do Instituto Nacional de Meteorologia indicam que o Rio registrou, em 2021, o inverno com mais dias com temperatura média abaixo de 20 graus na última década – as buscas por segunda pele (um tipo de blusa fina para colocar embaixo de malhas de lã), sobem 244% em maio em relação a abril. E em julho, quem aparece sem pudor são as “roupas térmicas”, com uma alta de 1.704% em relação ao mês anterior.

A crise econômica também se faz presente em 2021. O IGP-M acusa uma inflação anual de 17,78% em agosto.  Em paralelo, a expressão “Mercado de Ações” cresce 169% no mês, em relação ao mesmo período do ano anterior. Já o relatório do Google aponta para um crescimento global de 60% da expressão “como investir”, comprovando a mesma preocupação das pessoas com a proteção de seus patrimônios.

 

Resumindo

Se 2020, ante a estreia da Covid-19, pode ser caracterizado como um divisor de águas, 2021 merece ser nomeado como o “ano da resiliência”. Demos nó em pingo d’água, pulamos miudinho, respiramos fundo, nadamos em mar bravo. Que 2022 seja mais generoso!

Head de Marketing, Culture&People da Simplex

Comentários

PUBLICIDADE