Artigos

Na era do click bait quem não engana seu público é rei

Você já parou pra contar quantas vezes você já clicou em alguma notícia, texto ou anúncio por conta de algo atrativo e quando foi redirecionado, consumiu o conteúdo ali presente e se arrependeu repentinamente?

Pois é, a era do click bait faz publicitários e jornalistas instalarem adblocks, nos faz ler os comentários antes de ir para o link reproduzido no post e até mesmo perguntar a amigos que compartilharam se vale a pena a leitura antes ou no pior dos casos, nem consumir o que está sendo apresentado. Fazemos isso, porque há cada vez mais canais disseminando conteúdo, mais gente consumindo e quanto mais essa demanda cresce, mais burra ela também fica. Mas, por quê? A resposta é simples: produtores de conteúdo e veículos desengajados a produzir algo com qualidade. O clique/conversão virou prioridade e o conteúdo é mera ilustração nos dias de hoje.

Basta uma rápida navegação no YouTube, Facebook, Twitter e etc para ver conteúdo irrelevante com milhares de cliques, curtidas, comentários e compartilhamentos.  Nós perdemos o hábito de checar fontes e buscar outras versões da mesma matéria para, de fato, ter certeza que não é uma “fake news”, mas o debate que quero levantar aqui é sobre não enganar mais o seu público-alvo com click bait.

O cerco está fechando para este tipo de produtor de conteúdo. O Facebook já anunciou mudanças em seu algoritmo para penalizar quem usa esse tipo de abordagem para convencer o usuário a clicar e engajar com seu conteúdo, mas ainda assim, alguns espertinhos vêm conseguindo “driblar” a rede social e disseminar conteúdo fútil e de baixa qualidade para o leitor. Por favor, não seja esse tipo de pessoa.

É possível sim, você criar conteúdo e “call to actions” para o seu público engajar com seu material. Se você é um site de notícias, por que não colocar o que realmente importa da sua notícia na chamada? Por que não criar um texto chamativo sem exagerar no tom para, de fato, convencer o seu leitor a fazer uma conversão?

Nos últimos anos, eu entendi que o click bait afasta o seu leitor de uma segunda ação em seu canal. Pense que cada pessoa que clicar em seu anúncio/texto/notícia é uma mídia em potencial para continuar disseminando seu conteúdo para uma nova base de usuários. Escreva para pessoas, não para números. Leve os números em consideração na hora de criar seu conteúdo, escreva como se você fizesse parte desse número e seja honesto na hora de divulgá-lo em seus canais. Você vai ver como em curto/médio prazo você terá muito mais acessos do que se estivesse fazendo click bait.

Faz e depois me conta.

Thiago Buchler

é sócio na GTC, responsável pela gestão de todas as operações da empresa, coordenação de equipes e desenvolvimento de projetos, estando também à frente dos projetos de tecnologia

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:

Projeto mantido por:

Media Partners:

Projeto hospedado por: