Artigos

Growth Marketing: como startups têm conseguido crescimentos exponenciais com estratégias de crescimento?

Uma estratégia de growth marketing bem definida é capaz de transformar seus clientes em vendedores da marca

 

Dropbbox, Uber, Nubank, AirBnB e tantas outras gigantes que mal ouvíamos falar há alguns anos e hoje parece que todos as conhecem. Alguns acabam acreditando que foi uma “simples” ideia genial, que o produto era incrível e fez o trabalho por si só, ou ainda que foi pura sorte. Mas nós, profissionais de marketing e produto, sabemos que raramente essa é a verdadeira história.

Se você trabalhou com marketing digital há alguns anos, você teve um cenário muito menos desafiador. Anunciar no Google e em outras mídias era praticamente garantia de resultados. Pouca concorrência, leilões com custo baixo, e mídia paga poderia revolucionar negócios em poucos dias ou da noite para o dia.

Hoje existem várias estratégias de marketing, vários canais de aquisição, necessidade de respostas rápidas e o mais importante: o acesso a informação de qualidade deixou de ser privilégio de poucos e qualquer um pode ter acesso as mesmas estratégias. Se você acompanhou essa evolução, certamente percebe que hoje tráfego está mais caro, custo por lead está mais caro e é preciso muito jogo de cintura para manter um CAC (Custo por Aquisição de Cliente) sustentável para o crescimento de uma empresa, seja ela startup ou não.

 

Growth Marketing: processo de alavancagem de negócios

Growth Marketing está mais para um processo do que somente uma estratégia. De maneira simples, como definiu Josh Fetcher, é o processo de testar estratégias de crescimento, focadas em aquisição, crescimento de receita e retenção de clientes. Alinhado com o fluxo de testes e hipóteses previamente desenhadas e bem fundamentadas, visando avaliar e mensurar, minuciosamente, o potencial de resultados e escalabilidade, pensando claro em custo, tempo de resposta e resultados esperados.

Resumindo ainda mais: é sobre como validar MVP’s (Mínimo Produto Viável) de maneira rápida, com baixo custo de teste, para descobrir o potencial de crescimento de um produto/negócio usando estratégias não tão óbvias como Inbound Marketing ou compra de tráfego (AdWords/Facebook).

Growth Marketing vs Growth Hacking

Não é difícil que você já tenha ouvido falar em Growth Hacking e pense que pode ser a mesma coisa, mas não é. Growth Hacking está mais ligado a testes A/B, cores de botões e ajustes que visam melhorar os resultados, mas sobre fontes de tráfego muitas vezes limitadas. Não que não dê resultado, mas geralmente um hack costuma melhorar a conversão e não escalar os resultados.

 

Por que pensar em Growth Marketing?

Imagine uma startup, validando produto e modelo de negócio, decidindo usar Google AdWords para isso? Ou ainda decidindo usar Innound Marketing, o que implicaria em criar páginas e páginas de captura, funis e fluxos de automação, muito conteúdo (blogposts, e-books) e fluxo de passagem de oportunidades para vendas?

Essas estratégias funcionam, mas não na rapidez que startups precisam, que o mercado exige. É preciso quebrar padrões tradicionais do marketing (digital ou não), o que exige um profissional não apenas focado em marketing, mas principalmente em produto.

 

Growth Marketing não é só Marketing

Quando falamos de Growth Marketing, acima de tudo, estamos falando de um profissional com um mindset diferente, que não acredita que crescimento seja apenas gerar e qualificar leads e que está muito ligado a produto e não somente a marketing. A ideia de definir persona, mapa de empatia e da sala do marketing definir o que será feito, não se encaixa nesse cenário.

Várias estratégias de Growth bem sucedidas vieram de profissionais de marketing com alto conhecimento sobre o produto ou mesmo de profissionais de growth marketing com grande habilidade de envolver especialistas de times diferentes, como gerentes de sucesso do cliente, gerente de produto, entre outros.

O que todas as empresas citadas no começo deste artigo têm em comum? Uma estratégia de growth marketing bem definida, que conseguiu transformar seus clientes em vendedores da marca, criando uma escala de crescimento disruptiva frente a estratégias convencionais.

Talvez você tenha enviado um convite do dropbox para ter mais espaço, talvez você tenha enviado um convite para um amigo ter o cartão do Nubank. O motivo pelo qual você fez isso foi uma estratégia de Growth bem definida e que, irrefutavelmente, deu muito certo.

 

Conclusão

Para pensar e fazer growth marketing é preciso quebrar barreiras do marketing tradicional, integrando time de marketing com time técnico, time de onboarding e até de retenção, para criar mecanismos de marketing incorporados ao produto em si. Isto, sem dúvida, exige um profissional de marketing nada convencional, que entenda de marketing, de produto, de negócios e, fundamentalmente, de envolver pessoas.

 

Quer saber mais sobre Growth? Então dê uma lida nesses textos abaixo:

>>Growth Hacking e Inbound Marketing: técnicas para expandir os negócios

>>Growth Hacking: três perguntas para Lucas Pereira 

>> 6 dicas de Growth Hacking para aplicar em qualquer pequeno negócio em 2018

Avatar

Especialista em InBound Marketing, possui todas as certificações AdWords, certificação Analytics e quase 10 de experiência em Marketing Digital, atuando em diversas áreas como SEO, Growth Marketing, E-mail Marketing, Marketing de Conteúdo, Métricas e Funil de Vendas. Adriano é formado em Web Design e Programação pela UNISUL e Especialista em Comunicação Digital, Web Jornalismo e Novas Mídias pela UNIT. Apaixonado por compartilhar conhecimento, mantém um blog e é autor de diversos cursos na área digital.

Comentários

PUBLICIDADE