Artigos

Gamificação é essencial no engajamento dos millennials

A geração millennial, nascida entre 1980 e 1995, que é considerada a mais influenciadora entre todas as faixas etárias e está sempre em busca de novidades, nunca se acomoda ou defende causas e marcas se não se sentir totalmente representada por elas. Então, qual é a melhor estratégia para promover o engajamento dos millennials, um grupo que, somente nos Estados Unidos, deve gastar cerca de US$ 200 bilhões até o final de 2017?

Em primeiro lugar, os millennials na verdade não podem ser considerados um grupo, já que o conceito reúne diversos tipos de pessoas, como uma mãe de dois filhos e um estudante que acabou de entrar na universidade. Os seus interesses são bem diferentes, assim como os seus perfis de compras.

Mas em um aspecto todos se parecem: a sua maneira de comprar é completamente diferente. Eles querem saber o propósito da sua empresa, e não apenas o que ela vende. Eles querem criar relacionamentos.

O engajamento dos millennials não acontece com transações, e sim com experiências, que são tão importantes, senão mais, do que o preço do seu produto ou serviço. E eles não se importam em compartilhar as suas informações com os varejistas para que recebam essas experiências. Uma pesquisa realizada pelo Google mostra que os millennials com idade entre 25 e 34 são três vezes mais propensos a compartilhar suas informações.

Já um estudo do Bank of America com usuários norte-americanos de smartphones apontou que quase metade dos millennials não se importavam que os seus dispositivos rastreassem seus hábitos de compra e localização. Tudo em busca de personalização.

 

Crie experiências gamificadas

O marketing de massa não irá atrair os millennials, que se consideram únicos e querem ser vistos dessa maneira pelas marcas, com interações, ofertas e experiências personalizadas.

A gamificação é capaz de quebrar as barreiras e humanizar as marcas e, como pressupõe interação, faz com que os millennials se sintam “conversando” com a empresa. A gamificação também cria experiências e faz com que a interação com a marca seja divertida.

A estratégia de gamificação consegue conectar os millennials como indivíduos, customizando a experiência com a marca. Mas não adianta apenas apresentar programas divertidos. A empresa precisa entender as dores do cliente e então usar a gamificação para resolver os problemas.

E ao mesmo tempo também identificar quais áreas do negócio precisam ser melhoradas. Será que a meta é aumentar as vendas, ampliar o compartilhamento nas redes sociais? O objetivo é que vai determinar qual a melhor estratégia para o engajamento dos millennials, incentivando novos comportamentos.

 

Descubra o eles gostam

Millennials não querem mais propagandas antiquadas, invasivas, sem sentido, e cada vez mais estão usando a funcionalidade Ad Blocks, bloqueando os anúncios durante a sua navegação. Então, como as marcas vão chegar até esse público? Identificando quais são os seus canais preferidos, quais os seus hábitos e comportamentos e interagindo nesses pontos de contato. Um programa de lealdade multicanal é capaz de promover o engajamento dos millennials.

O programa de lealdade da Marvel, por exemplo, premia os clientes que seguem os perfis da empresa no Twitter, Facebook e Foursquare. Também premia os fãs que assistem aos trailers dos próximos filmes e os que fazem check-in nos eventos ao vivo, combinando as experiências online e offline.

 

Faça com que eles se sintam VIPs

Marcas de luxo identificaram que a estratégia de oferecer descontos nos seus programas de lealdade, ao invés de atrair mais clientes, na verdade fazia com que a marca parecesse “barata”. Para as marcas de luxo, o valor do ticket não é uma preocupação. Então, o aspecto financeiro não é importante para o sucesso do programa de lealdade. O que importa para os millennials é o seu status na empresa e também recompensas que sejam experiências que os façam se sentir VIPs.

E essas experiências são conquistadas com um programa de lealdade gamificado com metas, níveis, conquistas e placares que envolvem o espírito competitivo. E essas conquistas devem ser compartilhadas nas redes sociais, aumentando a visibilidade da marca e o engajamento dos millennials, que têm os seus nomes associados à marca.

Mas tenha sempre em mente que a gamificação é uma estratégia, que deve estar alinhada aos objetivos do negócio. Para serem competitivas, as marcas devem mostrar o seu propósito, criar experiências únicas de compra e tratar os clientes como indivíduos, personalizando todo o ciclo de compra.

Carlos André

é cofundador e CEO da LoySci, empresa voltada para a criação e estruturação de programas de lealdade e engajamento. Com mais de 30 anos de carreira na área de tecnologia, Carlos André foi presidente de empresas como Oracle, Novell, AT&T Latin America e Software AG. Formado em ciências da computação pela PUC, tem especialização em negócios pela Columbia Business School, e Finanças pela Harvard University.

Comentários

PUBLICIDADE

RECEBA NOVIDADES

Fique por dentro de todas as novidades, eventos, cursos, conteúdos exclusivos e muito mais.

Oferecimento:

Projeto mantido por:

Media Partners:

Projeto hospedado por: