Artigos

E-mail Marketing: como e por que agradar a gregos e troianos?

Se você é daqueles que se perguntam: para quê investir em e-mail marketing? Este singelo artigo tem, sim, a pretensão de persuadir você. Venha para o lado luminoso da força. (Transparência é tudo! 😉 )

Brincadeiras à parte, uma pesquisa feita pelo Hubspot mostrou que 74% dos consumidores preferem receber comunicação comercial via e-mail e, na era da mobilidade, 48% dos e-mails foram abertos em smartphones. São números que não se podem desprezar.

É importantíssimo você saber que e-mail marketing é uma ferramenta de relacionamento. É a partir dela que você consegue criar um rico banco de dados de clientes. Aí você vai entender que a frase “não é possível agradar a gregos e troianos” faz, cada dia, menos sentido à medida em que você se embrenha nessa ferramenta.

Hoje em dia, ao contratar o e-mail marketing de grandes fornecedores, algumas funcionalidades enriquecem o pacote. A que eu quero chamar atenção aqui é a segmentação: você consegue dividir suas listas de contatos de acordo com as ações. Por exemplo, você pode pegar seus contatos que não abriram um e-mail enviado por você e fazer uma campanha de engajamento. Assim, você aumenta sua credibilidade ao ser mais assertivo.

 

E quando se fala em conteúdo? Por onde começar?

Uma dificuldade que grande parte das pessoas têm, em algum momento, é a criação do conteúdo. Como escrever de forma interessante, que faça seu cliente se encantar com a sua informação, e, assim, capturá-lo? Sim, caro leitor, a ideia é capturar mesmo.

Difícil, hein? Mas não impossível.

Agora que você sabe que precisa mergulhar nesse mundo marqueteiro se quiser que seu negócio deslanche, veja algumas dicas sobre conteúdo para e-mail marketing:

  • Menos é mais: não adianta escrever uma bíblia se ninguém a lê. Seja conciso e direto, mas sempre amigável (Começar com “Olá, fulano, tudo bem?” é uma forma bacana de iniciar uma conversa, além de deixar personalizada a mensagem).
  • Tão importante quanto o tamanho do e-mail é a frequência: envie apenas o que for importante para o cliente saber. Se você tem bastante conteúdo a encaminhar, tente espaçar o envio dos e-mails. Creio que de três a quatro dias entre uma mensagem e outra está de bom tamanho.
  • Foque a mensagem no público que você quer atingir. Como disse lá em cima, se você segmentar sua lista de contatos, você conseguirá alcançar um número maior de pessoas e de forma mais qualificada.
  • Surpreenda: agregue valor no dia a dia de seu cliente. Mostre que você se interessa por aquele perfil. Se o cliente comprou fraldas com você, daqui 20 dias retorne: “será que não está acabando o produto que você comprou dia tal?”

 

And, the last but not the least:

  • “PelamordeDeus”, não cometa erros de português. Sua credibilidade depende disso, apesar de tudo que se vê pela web. Se estiver inseguro, busque no Google, peça ajuda a um amigo que é fera em português. Mas não assassine a sua língua e o seu e-mail marketing.

 

Diante dessas dicas, agregue em todas elas uma mudança de atitude. Pense com a cabeça de cliente! Valorizar a experiência que o usuário terá ao clicar na peça que você produziu é uma forma de estar mais perto do seu público-alvo.

 

Quer saber como tornar o seu e-mail marketing mais assertivo? Então, não perca o Fórum de Marketing Digital em Florianópilis, no dia 19 de abril. No evento apresentaremos uma pesquisa inédita, realizada pelo Digitalks em parceria com a Opinion Box, com dados para tornar seu e-mail marketing o benchmark do mercado.

Aline Marques Rodrigues

é jornalista com pós-graduação em Comunicação Empresarial e apaixonada por marketing e experiência do usuário. Carioca da gema, se mudou de mala e cuia para a qual já foi um dia a Terra da Garoa. Em São Paulo, fez de eventos à assessoria de imprensa, editou revista, e hoje é jornalista da área de tecnologia da informação, na Locaweb.

Comentários

PUBLICIDADE