Artigos

E-mail, inbound marketing e storytelling: tudo junto e misturado dá muito resultado

Entenda como aprimorar suas estratégias de marketing digital com essas três ferramentas: e-mail, inbound marketing e storytelling

 

Imagem. Diversas palavras, de cores variadas, que fazem relação com marketing como: branding, social media, innovation, agrupadas formando o desenho de uma lâmpada. As palavras "marketing Strategy" no centro do desenho em destaque. Em volta da lâmpada, um pedaço de uma mão que segura um caneta e complementa o desenho. Em volta da lâmpada também, mais três canetas de cor preta, azul e rosa que apontam para essa lâmpada.

Quem já assistiu à alguma aula ou palestra minha provavelmente me ouviu falar no pacto da mediocridade que temos no marketing digital. E medíocre, aqui, significa literalmente mediano. A maioria das estratégias de marketing digital são medíocres e, por isso, previsíveis, pois tendem a repetir fórmulas prontas. Uma delas é fazer inbound marketing baseado em download de e-books.

Sinceramente, é tanto e-book pra cá e pra lá que meu cérebro já ignora qualquer e-mail cuja linha de assunto contenha algo tipo “os 10 segredos disso”, os “3 erros daquilo” e “baixe o e-book tal”.

E por falar em e-mail, ele é ainda uma mídia sensacional para ser usada para estratégias de inbound marketing. Normalmente, é o “catalisador” de toda a linha de comunicação, seja pela facilidade de se produzir, mensuração e segmentação detalhadas até por comportamento, custo e, principalmente, o alto retorno que apresenta. Mas o e-mail não é a única ferramenta disponível para envolver seu consumidor, assim como inbound marketing não é algo totalmente novo e, de quebra, o segredo do sucesso de qualquer estratégia de marketing digital não está na forma e, sim, no conteúdo.

Num mundo em que somos impactados diariamente por, no mínimo, oito diferentes mídias, só prestaremos atenção e reagiremos ao que de fato nos interessa. Essa é a essência da propaganda, sintetizada no conceito AIDA (Atenção, Interesse, Desejo e Ação), da qual o inbound marketing é uma releitura meritosa ao lançar mão do aparato tecnológico de mídia que a internet nos trouxe.

Se de um lado temos uma mídia ainda amplamente rentável, que é o e-mail marketing, e, de outro, uma forma estruturada de realizar a abordagem do seu potencial cliente, que é o inbound marketing, que tal juntar a isso um conteúdo relevante que possa manter seu consumidor engajado com sua marca sem ter que fazer download de nada? E aí entra o Storytelling.

O e-mail é uma mídia ótima para se contar uma história. E, se ela for boa, vai envolver sua audiência. E a história pode ser algo prático, ligado ao próprio negócio, como no case do Armed Forces Bank. Trata-se de um banco norte-americano focado no público que serve ou serviu as forças armadas.

O Armed Forces Bank resolveu dar uma chance à inovação e fez um dos melhores cases de inbound marketing que eu conheço. Provavelmente, sem saber que estava fazendo inbound marketing, pois o case já tem alguns anos. Basicamente, o que o banco queria era aumentar o saldo médio das contas correntes e vender mais produtos bancários para os novos clientes.  Prepararam toda uma sequência lógica de conteúdo para os correntistas e fizeram um grupo de controle para medir se a estratégia daria resultado. O grupo de controle, bem como todos os clientes até então, recebiam um e-mail de boas-vindas, um folder com os produtos do banco e ligações do telemarketing.

Três fotos, uma seguida da outra. A primeira é um contrato, a segunda um e-book de capa vermelha e branca e a terceira uma mulher de cabelo preso em um coque, olhos castanhos e blusa branca. Ela está com um um headset na cabeça.

Os demais novos clientes passaram a receber uma sequência de seis e-mails, nos quais todos os principais serviços e conceitos bancários eram explicados. Tudo em uma linguagem simples, para um perfil de público que não tinha muita cultura financeira.

Sequência do layout de seis e-mails que foram enviados ao cliente. Do segundo ao quarto e-mail há fotos de pessoas. No segundo, por exemplo,a foto de um casal abraçado, no 4° a foto de um homem lendo um jornal.

Uma coisa interessante é que o primeiro e-mail já deixava claro que haveria uma sequência de seis e-mails com conteúdos específicos sobre cada conceito financeiro/bancário. E cada e-mail seguinte apresentava um teaser sobre conceito com um link para acessar o conteúdo que estava disponível no site.

Foto do primeiro e-mail divido em 3 páginas. A única página que tem foto é a n°2 que está no centro da imagem.

O resultado não poderia ser outro: comparado ao grupo de controle, os clientes que participaram da campanha via e-mail apresentaram um saldo médio em conta corrente 21% maior. O número de produtos bancários contratados também foi superior: 39% a mais do que o grupo de controle.

Se pararmos para analisar o que foi feito, faz todo o sentido para quem recebe. Um exemplo de estratégia que não força a barra em impor modelos pré-concebidos de inbound marketing, que usou o e-mail de maneira inteligente e apresentou um conteúdo bem coerente e coeso.

Que tal repensar suas estratégias e buscar a inovação, como fez o Armed Forces Bank?

Rodrigo de Almeida

é Diretor Comercial da Dinamize. Formado em Publicidade e Propaganda, possui MBA em Marketing pela ESPM-SP e foi Superintendente Comercial da Televisão Cidade, Gerente Comercial do Ajato Empresas, da TVA, e Gerente Geral da Matrix Internet em São Paulo. É membro do conselho superior do Código de Autorregulamentação para a Prática do E-mail Marketing, representando a ABRADI - Associação Brasileira de Agências Digitais. É autor de artigos como Os 4Ps do E-mail Marketing, O Filho Bastardo das Mídias Digitais, O Multiplicador do E-mail Marketing, entre outros.

Comentários

PUBLICIDADE