Artigos

E-commerce de nicho é bom? Que tal o e-commerce de nicho do nicho?

Quem me acompanha sabe que eu tenho direcionado o varejo tradicional a pensar no e-commerce de forma orientada e nichada. Ainda mais se o segmento for eletroeletrônicos e moda, onde o mercado é bastante competitivo.

Pois bem, hoje eu trago um CASE bem interessante de um nicho do nicho, na verdade um  “pure e-commerce“ focado em sapatos para o público feminino com pés pequenos. Sim, isso mesmo, uma loja virtual só para mulheres que calçam os números 33 e 34. Trata-se da 33/34 Shoes.

Por que o nicho do nicho?  Simples, porque faz todo sentido buscar um modelo de nicho aliado a um problema e uma demanda reprimida existente. Só para ter uma ideia, são 5 milhões de mulheres que usam números 33/34 somente no Brasil. Essas meninas de pés pequenos NÃO encontram facilmente sapatos de qualidade / marcas famosas com essa numeração em lojas tradicionais e até mesmo em sites. Esse é o problema com uma demanda reprimida. Ou seja,  a 33/34 resolve o problema de uma camada da população.

A loja entra no ar agora no dia 10 de dezembro e já tem uma legião de mulheres cadastradas e esperando para comprar as suas sandálias, botas, sapatilhas, scarpin, rasteiras, entre outras das mais variadas marcas famosas como: Rafhaella Booz, Bárbara Kraz, Werner, Ballasox e Converse.

Além de oferecer  um produto específico, a 33/34 Shoes vai se dedicar a criar uma experiência de compra inesquecível para suas clientes. Os preços serão muito competitivos e  entregas rápidas. Mas o principal é que pretende ser um canal em que essas mulheres possam, não só comprar sapatos ideais ao seu tamanho, mas possam compartilhar sua satistação umas com as outras, trocar experiências, falar das marcas, do conforto, da praticidade e do glamour de cada sapato. Mais que um e-commerce, a 33/34 será um novo espaço para esse público se divertir, comprando e usando o que gosta.

Para montar essa loja, a empreendedora Tânia Gomes, CEO do e-commerce, conta com vários especialistas no time, entre eles, Luiz Pavão, Tiago Luz e Rodrigo Krey.  Além disso,  Tânia levantou investimento Anjo para colocar o projeto no ar através de uma rodada de investimento via entidade Anjos do Brasil.

Mais do que isso, Tânia se cercou de uma cadeia produtiva profissional para entregar a melhor serviço possível, como: CNTlogística, KPL, VTEX, SIEVE, CIELO, CLEARSALE, FOTOOCOMMERCE, entre outros.

É isso, parabéns Tânia, parabéns ao e-commerce Brasileiro que entendeu que o nicho do nicho, faz toda a diferença na conversão.

##

Artigo publicado originalmente no Portal E-commerce Brasil.

João Kepler

Especialista em Comércio Eletrônico, Marketing Digital, Empreendedorismo Digital e Vendas.CEO na Plataforma B2B de Internet Ticketing @ShowDeIngressos. Escritor e autor de Livros e DVD´s, como: “Vendas 3.0″, “O vendedor na Era Digital” e “Vendas & Atendimento”.

Comentários

PUBLICIDADE