Artigos

Como utilizar SEO para construir estratégias de marketing mais robustas

SEO como parte integral de Estratégias de Marketing (minha preferida)

 

Cada vez mais as grandes marcas estão reconhecendo a importância de integrar search engine optimisation à suas estratégias de marketing.

O que antes, geralmente, era responsabilidade dos gestores de TI contratar, hoje, passa ser obrigação das áreas de marketing: correr atrás de agências especializadas em SEO ou formar equipes in-house para chegar ao topo dos resultados de pesquisas do Google e outros motores de busca.

De qualquer forma, search engine optimisation deve ser parte integral de estratégias de marketing em geral.

Por quê?

Por vários motivos.

 

1 – Porque ajuda a aumentar o reconhecimento de marca

Na maioria das vezes que utilizamos a busca, estamos buscando informações. Seja, uma direção, um resultado de jogo, uma receita, uma imagem, produtos e serviços.

Portanto, conquistar as primeiras posições nos resultados de pesquisa orgânica do Google para termos genéricos é de suma importância para aumentar o reconhecimento da sua marca.

Entende-se por termos genéricos palavras que descrevem um produto ou serviço de forma genérica. Por exemplo, Pinho Sol e desinfetante ou Nescau e Achocolatado.

O quão valioso seria para essas marcas estarem no topo dos resultados orgânicos para esses termos?

Partindo do princípio de que quem busca por desinfetante não conhece o Pinho Sol, podemos dizer que extremamente valioso, pois mensalmente são realizadas em média 22.000 pesquisas por mês.

2 – Porque contribui para o aumento de autoridade de marca

Um dos pilares do SEO é o conteúdo, seja ele produzido para o site ou para estratégias de conquista de backlinks.

Em ambos os casos o conteúdo ajuda a construir autoridade de marca.

Uma estratégia de conteúdo proprietário focada em informar e auxiliar o público-alvo da marca a posiciona como autoridade em seu segmento. Um estudo, da empresa americana Conductor, revelou que marcas que produzem conteúdo informativo e educacional têm 131% mais chances de vender.

Já o conteúdo publicado em sites de nicho e grandes portais de notícias contribui diretamente para a construção da autoridade da marca. Esse processo em SEO é conhecido com Link Building.

Imaginem sua marca sendo mencionada como referência na Veja, Época ou Folha de São Paulo e de que quebra ganhando um backlink para seu site.

A título de informação, os links externos (de referência) continuam sendo o principal fator de ranqueamento da pesquisa orgânica do Google.

 

3 – Porque potencializa os investimentos de mídia

Quanto mais competitivo um nicho, mais caros são os custos por cliques (CPC). Quem trabalha com Google Ads de desentupidoras sabe bem o que estou falando.

Portanto, em vez de ficar gastando caminhões de dinheiros com campanhas de PPC (pay-per-click), passem a direcionar parte dessa verba para conquistar bons posicionamentos orgânicos para as mesmas palavras-chave e com o tempo reduzir os investimentos em mídia sem perder performance.

Antes de continuarmos, uma pergunta:

A sua marca está bem posicionada para termos relacionados à comunicação utilizada em campanhas de redes sociais e display?

Imagem que vocês possuem uma marca que vende queijo de cabra rico em proteínas e tais atributos são utilizados em seus anúncios de Facebook Ads.

A plataforma do Facebook Ads é extremamente efetiva para entregar os anúncios para seu público-alvo, mas no momento em que são impactados seus consumidores não estão em “shopping mode“.

Se a sua marca não se preocupou em estar em primeiro no Google para a palavra-chave “queijo de cabra rico em proteína”, sua equipe de marketing está desperdiçando alguns milhares de reais.

Por quê?

Pelo simples fato que ninguém vai no Facebook buscar por informações.

 

4 – Porque pode e deve ser integrado com ações publicitárias offline

Que hoje somos muti-telares já não é nenhuma novidade. Mas o que muitos marketeiros ainda têm dificuldade em compreender é o que fazemos com essas telas quando somos impactados por seus anúncios no rádio, na TV e até mesmo em outdoors.

Para aqueles que ainda não sabem. Nós utilizamos o Google para buscar mais informações sobre o novo produto ou marca anunciado.

O Superbowl é a final do Futebol Americano, um dos eventos esportivos mais assistidos do planeta e de longe o espaço publicitário mais caro da via láctea, até que provem o contrário.

Ano após ano, grandes marcas, gastam milhões de dólares para anunciar seus produtos durante os intervalos da partida e falham em continuar a comunicação com seus públicos por não considerarem “search” como uma extensão dos seus anúncios.

São inúmeros os casos de anunciantes que falharam em potencializar a mensagem de seus anúncios por não levar em consideração que os usuários utilizam a busca enquanto assistem seus anúncios multi-milionários.

Desde 2009, Vanessa Fox, ex-Google, vem documentando estes fatos. Em sua coluna no Search Engine Land vocês podem ler todos os artigos na íntegra. Para facilitar segue o link de um dos primeiros artigos.

 

5 – Porque Search Intent Marketing is the next big thing

De acordo com Dr. Philip Kotler, um dos princípios do marketing é entender as necessidades do público-alvo para então desenvolver produtos e serviços visando atender tais necessidades.

“a ciência e a arte de explorar, criar e entregar valor para satisfazer as necessidades de uma audiência de mercado com lucro. O Marketing identifica necessidades e desejos não atendidos. Define, mede e quantifica o tamanho do mercado identificado e o potencial de lucro. Ele aponta quais segmentos a empresa é capaz de atender melhor e projeta e promove os produtos e serviços adequados. ”- Dr. Philip Kotler

Se pararmos para pensar, cada pesquisa realizada no Google é uma intenção. Uma intenção de buscar uma informação, uma direção ou uma ação, como comprar.

Portanto, compreender o comportamento de pesquisa das diferentes personas do público-alvo da sua marca é de suma importância para compor estratégias de marketing muito mais robustas.

Ferramentas como Keyword Planner do Google Ads, Google Trends, Answer the Public, Keyword Magic Tool da SEMrush e outras, são essenciais para compreender como e com que frequência os usuários pesquisam.

Mas não deixe de utilizar os métodos tradicionais. Vá a campo, interaja com seu público, tente entender as nuances de como falam sobre seus produtos e serviços.

Compreender esse comportamento é de suma importância para a estratégia de marketing da sua marca e para um novo tipo de pesquisa que vem aumentando dia a dia. A busca por voz!

Assunto para quem sabe um próximo artigo.

 

Conclusão

Não negligencie o poder do marketing de busca, pensem de forma integral. Pesquisa paga e orgânica são complementares, assim como, outros estratégias de marketing digital.

Integre as equipes, tragam o time de SEO para dentro dos times de marketing ou não deixe mais que o TI contrate sua próxima agência ou profissional.

Felipe Bazon

é co-fundador do WP SEO Boost e sócio na agência inglesa de Marketing Digital Hedgehog Digital. Há mais de 10 anos apoixonado por SEO, Content Marketing e Marketing Digital em geral. Já liderou mais de 100 projetos de SEO e Content Marketing em empresas como Saraiva, Grupo Boticário, Editoria Abril, Estadão, Shopify entre outras.

Comentários

PUBLICIDADE