Artigos

Como usar uma Landing Page para potencializar suas vendas

Se antes as pessoas já não tinham tempo a perder, a popularização da internet, principalmente a grande quantidade de acessos por dispositivos mobile, tornou esse tempo ainda mais escasso. Qualquer distração pode tirar o usuário da sua página/site e, por consequência, levá-lo a não consumir o seu produto.

Por esse motivo, muitas empresas optam por aplicar estratégias de vendas por meio de landing pages. Mas o que são landing pages? Como fazer para que elas proporcionem resultados efetivos? Afinal, todas as empresas que investem em marketing digital buscam aumentar as suas vendas, certo?

O que é uma landing page?

Criado há muito tempo, o conceito de landing page (que significa “página de destino” ou “página de aterrissagem”) tem como principal objetivo concentrar o máximo de informações relevantes sobre algum tema e elementos de persuasão para que o usuário não se distraia durante a navegação e o seu acesso gere uma conversão.

Essa conversão pode variar de acordo com cada negócio, mas ela normalmente se destina a:

– gerar uma venda direta;

– capturar um novo contato (lead);

– ter um cadastro de relacionamento (newsletter).

Após o usuário ser impactado por um anúncio, a primeira conquista é o seu clique. Em seguida, enviamos este usuário para o nosso ambiente, site ou landing page a fim de transformá-lo em um consumidor. É nesse momento que a landing page se mostra mais efetiva do que um site com muitas páginas e links.

O usuário com muitas opções de cliques e navegação pode se dispersar rapidamente. Vamos a um exemplo bastante comum, entre muitos outros que poderiam ser mencionados: ele clica em um link que demora apenas alguns segundos para carregar. Mas, como não tem tempo a perder, o usuário aproveita esse rápido intervalo para já abrir uma nova aba e acessar outro site. Ao retornar ao seu, ele acaba esquecendo qual a informação que buscava, e o resultado disso por ser uma baixa taxa de engajamento, levando-o a simplesmente fechar a sua página.

A falta de opção realmente vende mais?

Pelo tempo e experiência que já conquistamos atuando nesse segmento, vimos que sim. O mercado que tem um produto focado tende a vender mais do que aquele com muitas opções. Para deixar isso provado, existem alguns estudos que revelam que o ser humano tem mais facilidade de escolher quando há menos possibilidades. Vejamos um desses estudos*.

Na Universidade de Columbia, em Nova York, a Dra. Sheena S. Iyengar realizou um dos mais brilhantes experimentos que prova essa nossa percepção. Ao apresentar duas situações diferentes para os visitantes de uma loja de doces, ela percebeu que a falta de opção fez com que as vendas da loja aumentassem drasticamente.

Eis a constatação:

Em uma mesa, foram colocados 24 sabores de doces em um dia e, no outro dia, 6 sabores. O objetivo era identificar qual mesa receberia mais visitas e qual dia venderia mais doces.

O resultado foi surpreendente! A mesa com 24 sabores atraiu 60% das pessoas para experimentar algum doce, e a mesa com 6 sabores atraiu 40% das pessoas.

No entanto, apesar de ter menos visitas, a mesa com 6 sabores vendeu para 30% dos clientes que os tinham experimentado, enquanto a mesa com 24 sabores vendeu para apenas 3%.

Supondo que passaram 100 pessoas nas duas mesas, o resultado é:

– a mesa com 24 sabores obteve 60 visitas e promoveu 2 vendas;

– a mesa com 6 sabores obteve 40 visitas e 12 compraram.

Fantástico, não? Quem poderia imaginar que os resultados seriam tão diferentes?

Mas como faço para construir uma boa landing page?

Após 10 anos trabalhando com marketing digital, identificamos alguns pontos cruciais e comuns nas landing pages de sucesso. Podemos separar a sua elaboração por: elementos de conteúdo, ou seja, as informações que constroem a página; os elementos tecnológicos, que fazem com que tenhamos uma boa rastreabilidade das conversões e, assim, possamos realizar alterações estratégicas no decorrer da campanha; e os elementos visuais, como área de respiro, ícones e vídeos.

 

1 – Elementos de conteúdo

Para ter um bom engajamento, comece a contar um pouco da história da sua empresa e/ou produto. Histórias vendem! O consumidor quer saber um pouco sobre o que está comprando

Trabalhe com depoimentos; eles são incrivelmente relevantes para os próximos consumidores, tornam a sua página pessoal e mostram que você tem clientes satisfeitos. Com toda a certeza, o aspecto humano conta muito, e um cliente satisfeito é o seu melhor vendedor.

Encoraje a compra; demonstre algumas das melhores vantagens para a pessoa interessada efetuar a compra naquele momento. Trabalhe também com a escassez, pois ela ajuda na tomada de decisões.

Apresente soluções, e não atividades. Quando queremos efetuar uma venda mais rápida, temos que destacar os benefícios do produto, e não os seus elementos técnicos.

 

2 – Elementos Tecnológico

É de extrema importância para o marketing digital saber o que está acontecendo – e de forma bem rápida. Essa rastreabilidade que temos on-line não existe em nenhuma outra mídia; então, temos que aproveitá-la da melhor maneira possível.

Use toda a tecnologia disponível no momento para ter 100% de certeza de onde vem o usuário que efetua uma compra. É imprescindível que, no caso de gerar um lead, esse rastreio saia do on-line e vá para o departamento de vendas. Temos diversos recursos, como funis de vendas, criação de UTM, entre outros.

Abuse dos números: eles irão favorecer uma forte redução de custos e otimização de campanhas. Com certeza, você se sentirá mais seguro para investir por saber o que vai acontecer.

 

3 – Elementos Visuais

Por último, e não menos importante, os elementos visuais da sua landing page devem deixar transparecer de forma eficiente o que você faz. O uso de ícones, por exemplo, pode gerar um entendimento mais ligeiro do seu negócio.

Uma questão que poucas empresas usam é o chamado tempo de respiro. O nosso cérebro precisa de alguns segundos para interpretar uma informação. Não adianta bombardearmos o nosso visitante com informações e não deixá-lo refletir a respeito. Via regra, quando isso acontece, o visitante não entende nada e tende a fechar a página.

Dê uma área em branco para ele respirar, refletir sobre a decisão de compra e, assim, você terá uma efetividade maior nas suas conversões.

*Para quem quiser saber mais sobre o estudo, recomendamos a publicação na íntegra: http://www.columbia.edu/~ss957/articles/Choice_is_Demotivating.pdf.

Avatar

é especialista em Marketing Digital e gerente de Novos Negócios na LinkBrand, agência de marketing digital integrado. Com passagens por empresas renomadas do mercado, Gustavo iniciou a sua carreira há mais de 15 anos, exercendo cargos operacionais como web designer e cargos comerciais na área do marketing digital. Ao longo desse período​,​ adquiriu amplo conhecimento em vendas on​-​line, compreendendo as mais diversas funcionalidades e alcances de ferramentas que, utilizadas estrategicamente, são realmente capazes de promover os melhores resultados segundo os objetivos de cada empresa. Ao longo dos anos​,​ adquiriu amplo conhecimento em vendas on​-​line, compreendendo as diversas ferramentas para buscar sempre os melhores resultados de negócios para as empresas.

Comentários

PUBLICIDADE