Artigos

Como anda a sua marca pessoal nas mídias sociais?

Estabelecer uma presença consistente nessas plataformas vai além do mero ato de apenas criar um perfil

 

Foto. Homem de terno e gravata, não vemos o seu rosto apenas uma parte do queixo e do troco. Ele está com a mão estendida segurando uma placa branca com a frase "sua marca pessoal" escrita em letras pretas.

Em tempos ultra conectados, figurar nas mídias sociais deixou de ser uma mera opção e tornou-se, quase, uma obrigação para profissionais de qualquer mercado. Recrutadores, chefes, subordinados, concorrentes: todos vão lá, “dar apenas uma espiadinha” – alguns até com bastante frequência. Estabelecer uma presença consistente nessas plataformas, no entanto, vai além do mero ato de apenas criar um perfil. O que importa é construir, e, claro, manter um bom “cartão de visitas digital”. Porque são nas mídias sociais que profissionais e indivíduos, nos dias de hoje, podem ganhar ou perder relevância.

Já faz algum tempo que a pesquisa por informações sobre a carreira de um profissional passa, meio que obrigatoriamente, por canais como LinkedIn, Instagram e Facebook, o que torna os processos de gestão das marcas pessoais ainda mais importantes. Como em qualquer ação de marketing, o indivíduo, no ambiente online, também precisa elaborar um planejamento estratégico para figurar de modo positivo. Muitos, quando ouvem essa recomendação, imaginam que irão deixar de ser “espontâneos”, que perderão a própria identidade. Mas, não é bem assim. É possível manter a própria essência, mas de forma assertiva.

A autopromoção de uma pessoa nas mídias sociais precisa ser estruturada. As ações devem girar em torno do propósito de divulgar quem é o profissional, quais as suas expertises, aspirações e o que vem sendo feito para alcançá-las. No entanto, antes de criar perfis, é importante que o indivíduo construa uma estratégia fundamentada. A minha sugestão é que defina o tipo de conteúdo que pretende publicar, uma “linha editorial” para cada plataforma, a frequência da publicação e, claro, a forma como será feita a interação com os seguidores. Estabelecendo isso, o profissional tem, praticamente, o “mapa do tesouro” nas mãos.

Vale colocar que cada plataforma tem uma linguagem única e uma dinâmica particular. Há formatos específicos para conteúdos no LinkedIn, e outros, por exemplo, que ajudam a “performar” no Facebook. São abordagens completamente diferentes; táticas distintas, porém com a mesma finalidade: promover a imagem pessoal. O essencial, reforço, é ter um propósito. As ações precisam ser facilmente geridas, evitando armadilhas na Internet, que são muitas. A marca de um profissional nas mídias sociais é uma verdadeira “carta de apresentação”. Portanto, é imprescindível cuidar muito bem dela. O zelo ou a negligência podem influenciar o presente ou o futuro. Podem ser a diferença entre estagnação ou oportunidades na carreira. Como anda a sua marca pessoal nas mídias sociais?  

Higor Gonçalves

Jornalista, pós-graduado em Comunicação Mercadológica e Marketing do Consumo, especialista em Assessoria de Comunicação, com MBA em Gestão Estratégica de Marketing.

Comentários

PUBLICIDADE