Artigos

6 dicas para empreender após os 50 anos

Em busca de qualidade de vida ou de realizar um sonho antigo, o número de empreendedores nessa faixa etária tem aumentado ano após ano

 

Imagem: painel com vários papéis coloridos pregados e o do meio com a frase "make things happen". empreendedores .Quando falamos em empreendedorismo e inovação, um público que vem crescendo e marcando uma representatividade alta nessas iniciativas é o dos empreendedores na faixa dos 50 anos, os Grey Entrepreneurs ou Empreendedores Seniores.

O IBGE, em seu estudo mais recente, levantou um aumento de 57% no número de empreendedores com 50 a 59 anos no período de 2001 e 2014. De acordo com o estudo Global Entrepreneurship Monitor, incentivado pelo Sebrae, apesar de ser um número menor do que o de jovens empreendedores, profissionais na faixa dos 50 anos que decidem ter a própria empresa alcança o marco de 2 milhões de pessoas.

Há poucos anos, os profissionais com esse perfil, ao se aposentarem ou saírem das empresas que trabalhavam, optavam prioritariamente ou por seguir a carreira acadêmica, ou por prestarem serviços de consultoria na área em que atuavam. Agora empresas de outplacement têm estudado com essas pessoas uma terceira opção como solução para sua carreira, o empreendedorismo.

Seja por já estarem estabelecidos e com renda estável, por acreditarem que é a hora de apostar naquele sonho antigo, pela oportunidade de empreender ou pela necessidade, o fato é que essa faixa da população tem escolhido, cada vez mais, empreender.

Mesmo que o objetivo seja complementar a renda ou o foco seja mais uma realização pessoal, é importante fazer um projeto consistente que traga resultados, satisfação e que perdure ao longo dos anos e fases da economia. Por isso, Juliano Cortez, sócio e co-fundador da Jumpers, consultoria estratégica de Campinas, indica 5 pontos de atenção para quem já começou ou pretende empreender na idade madura:

 

1. Planejamento é fundamental

Procure ajuda de especialistas, converse com colegas, amadureça a ideia e coloque tudo no papel: existe mercado para o que estou criando? Minha solução resolve um problema real? De qual tamanho e intensidade é este problema? Qual será o investimento necessário? O negócio é viável? Em quanto tempo? Por onde começar? Quais são os departamentos necessários para o andamento da empresa? Em quais deles possuo e em quais não possuo experiência? Vou precisar me capacitar para isso e/ou contratar pessoas que tenham essa função? Respondendo a essas e outras perguntas e organizando as ações em uma linha do tempo podem te ajudar a estruturar e lançar a nova empresa de uma maneira mais tranquila. Assim também fica fácil identificar os pontos mais frágeis ou que precisam ser repensados.

 

2. Experiência + inovação

Muitos profissionais dessa faixa etária optam por abrir empresas em áreas relacionadas com aquelas que já atuavam anteriormente. Isso significa que entendem muito bem do universo em que estão inseridos, mas é importante sempre se preocupar com o modelo de negócios e em como fazer o mesmo trabalho de maneiras diferentes e inovadoras. Participe de eventos, faça cursos, fique antenado no que está acontecendo no mercado e tente aplicar dentro do seu negócio.

 

3. Seu hobby pode virar seu trabalho

Abrir um negócio em um ramo que você deseja, tem afinidade ou sonho tem muitas vantagens: flexibilidade de horário, mais tempo dedicado e independência financeira. Mas ao mesmo tempo que isso é bom, também pode se tornar um pouco massante. Por isso tenha em mente se é uma vontade passageira ou se realmente te traria realização. Lembre-se também que isso deixará de ser um hobby para se tornar sua rotina de todos os dias.

 

4. Use sua rede de contatos

Uma das grandes vantagens de ser empreendedor com mais anos de experiência é que você já passou por várias empresas/trabalhos e já conheceu muita gente antes. Tente entrar em contato com pessoas que já passaram pela sua trajetória e apresente sua ideia. Você pode encontrar pessoas passando pela mesma situação ou que ofereçam ajuda, pode receber feedbacks e dicas valiosas para seu novo negócio.

 

5. Quantas pessoas já tiveram essa mesma ideia?

Como citamos no estudo GEM, são 2 milhões de pessoas da mesma faixa etária que optaram por se tornarem empreendedores, eles são da mesma geração e muito do conhecimento de mundo deles é semelhante. Nessa fase é importante fazer muita pesquisa, levantar dados, ingressar no mundo virtual e entender como está o mercado daquele segmento que se pretende abrir um novo negócio. Se questione, também, sobre alguns outros pontos como: qual o movimento para esse mercado? Acha que será invadido por muitos no curto prazo ou é uma oportunidade única de entrar sozinho e inovar? Qual é a barreira de entrada do negócio?

 

6. Faça rápido

Não tenha medo de arriscar e errar, mas tente fazer isso o mais rápido possível para ter tempo de analisar e corrigir antes de ter perdido muito tempo e dinheiro. Fracassar algumas vezes antes de ter sucesso faz parte, a ideia é que esses fracassos custem o mínimo possível para sua empresa. Depois de fazer algumas tentativas no começo você vai encontrar o caminho certo e gerar muitos ganhos da empresa. Além disso, errar no início evita uma série de possíveis perdas no médio e longo prazo.

Juliano Cortez

Graduado em Publicidade e Propaganda com ênfase em Marketing pela PUC Campinas e pós graduado em Gestão e Estratégia Empresarial pela Unicamp.

Comentários

PUBLICIDADE