Artigos

6 dicas de Growth Hacking para aplicar em qualquer pequeno negócio em 2018

Muitos negócios de pequeno porte estão quebrando em 2017.

O que eu mais vejo é a sequência:

  1. Abrir o negócio;
  2. Ter um pico de receita;
  3. Entrar em declínio.

 

E grande parte desse declínio vem da força de divulgação do produto ou serviço. Isso acontece porque todo mundo acaba fazendo igual a todo mundo. Blogs iguais, conteúdos quase copiados, postagens diárias em redes sociais e por aí vai.

A impressão que eu tenho é de que todos estão contratando a mesma agência e replicando uns aos outros. Se diferenciar hoje é difícil, mas não impossível. Por isso que o Growth Hacking ficou famoso. É um processo de crescimento que pensa “fora da caixa”.

Um marketing Growth é totalmente orientado aos dados e geração de ideias.

Essa é a definição que Sean Ellis, o idealizador do Growth Hacking, coloca em seu livro Hacking Growth, leitura obrigatória para quem quer crescer um pequeno negócio. As quais geralmente partem de “E se eu pegar isso que eu fazia antes e fazer desse outro jeito?”.

Pensando nisso, eu listei seis dicas que podem ser muito valiosas para pequenos negócios em 2018. São técnicas de Growth Hacking que eu já vi funcionarem ou apliquei eu mesmo no meu Blog de Growth Marketing. Com essas dicas o seu funil de vendas vai acelerar em 2018. Vamos lá:

 

#1 – Use os seus clientes para atrair mais clientes: o poder dos depoimentos

O marketing boca a boca sempre, na história da humanidade, foi o mais eficiente. De acordo com a Nielsen, 92% das pessoas confiam na indicação de um amigo. É por isso que você precisa caçar comentários e recomendações de seus clientes (positivos e negativos).

Preste muita atenção aos feedbacks que os seus clientes estão te dando tanto nas redes sociais quanto em seus atendimentos.

  • Ouvir bem é uma arte. Saiba o que melhorar e enxergar o cliente satisfeito que vai falar bem de você com um brilho no olhar.
  • Tenha bem claro: qual é o meu “aha moment”? Esse momento é quando o seu cliente está mais satisfeito.
  • Identifique o momento e solicite que ele grave um vídeo falando de você. Ou grave você mesmo e depois use no seu próprio marketing.

 

Dica de growth hacker para growth hacker: impulsionamento de vídeos no Facebook é relativamente barato. Divulgue o seu vídeo e faça um remarketing oferecendo o seu produto ou serviço apenas para quem assistiu até 25% do seu testemunhal. Você pode fazer isso criando um Público Personalizado no Facebook como nas imagens abaixo:

 

#2 – Não mova o seu orçamento se não tiver resultados:

Seja simples. Teste coisas baratas nos seus anúncios. Crie públicos semelhantes (Lookalike), faça campanhas de indicação boca a boca.

Documente absolutamente tudo.

É importante ter uma planilha de acompanhamento de Growth para criar os seus próprios Marketing Hacks.

Esse tópico é justamente sobre isso. Crie um processo de Growth para o seu negócio, se comprometendo a aplicar pelo menos 2 testes por semana. Depois veja o que te deu mais resultado e replique na semana seguinte. Simples assim.

Muita gente acha que os Growth Hacks são “balas de prata” que vão resolver os seus problemas de uma vez só.

Mas, o Growth é um processo “gradualmente exponencial”.

Veja a curva de crescimento do Pinterest, um dos maiores cases de Growth Hacking:

 

#3 – Continue (ou comece) a fazer SEO

Todo mundo te fala isso, não é?

Mas, a questão é:

Você já aplicou de verdade uma estratégia de SEO?

Não estou falando de simplesmente adicionar Headings no seu site e reduzir o tempo de carregamento. Isso é o mínimo que você precisa fazer.Basta acessar o PageSpeed Insights do Google e seguir os passos.

Estou falando de focar no seu nicho, entender o que eles querem e entregar isso com conteúdo. É a melhor forma de gerar tráfego previsível no seu site ao invés de picos.

No RD Summit de 2017, o Vitor Peçanha, co-fundador da Rock Content, falou que quem faz marketing de conteúdo e SEO são “Telepatas, sensuais e bons de briga”.

Como você é um pequeno negócio precisa focar em táticas de “Cauda Longa”.

Para encontrar os termos longos que o seu público busca, siga estes passos:

Vou usar como exemplo um site de cursos on-line. Aqui no caso escolhi a Udemy;

  1. Pesquise um termo sobre o seu produto ou serviço;
  2. Abra o “Mais Vendido”;
  3. Verifique o plano de ensino/conteúdo programático;
  4. Encontre partes do conteúdo que possam ser recriadas em formato de conteúdo:

Basicamente, você estará criando conteúdo gratuito baseado no que as pessoas já pagaram para consumir. No print acima, por exemplo, 1.036 pessoas já pagaram por esse conteúdo.

 

#4 – Multiplique o seu conteúdo: faça mais com menos

Eu gravei um vídeo sobre essa técnica de multiplicação de conteúdo. Em resumo, ela é muito parecida com a técnica #2. Ao invés de criar um calendário editorial recheado de novos posts de blog, novos posts no Facebook, novos vídeos, você verifica quais conteúdos te geraram mais resultados e multiplica eles.

A multiplicação pode ser uma simples mudança de formato.

Um bom vídeo pode virar um eBook. Um bom post de blog pode precisar de uma planilha complementar. Um bom eBook pode ser quebrado em vários posts de blog. É uma forma rápida de escalar o seu marketing de conteúdo, que você pode aplicar hoje mesmo.

Faça o seguinte:

  1. Abre o seu Google Analytics;
  2. Clique em Comportamento;
  3. Selecione “Conteúdo do site”;
  4. Siga para “Todas as Páginas”;
  5. Verifique um determinado período e veja quais são os seus melhores conteúdos e de onde eles geram mais tráfego;
  6. Agora melhore eles.

São milhares de formatos de iscas digitais para gerar leads que você pode multiplicar em outro formato para ter resultados.

Dica de Growth Hacker para Growth Hacker: Se você enviar um conteúdo escrito para a startup Vooozer, ela te devolve um áudio desse conteúdo.

 

#5 – Teste novas tecnologias

Primeiro passo: acesse o ProductHunt e crie uma conta.

Segundo passo: acesse o AppSumo e assine a newsletter deles.

Basicamente, você vai receber atualizações dos novos (e melhores) produtos digitais para melhorar o seu negócio. Avalie os melhores para você e teste: a maioria deles possui o “teste grátis por X dias”.

Só testando você vai fazer um growth hacking eficiente.

Um marketing hack que eu apliquei recentemente foi criar um chatbot e transformá-lo em uma ferramenta de “e-mail marketing através do Facebook Messenger”. Assim que um usuário entra em contato com meu chatbot ele entra pra “lista” dele. A partir disso, eu consigo enviar conteúdo através desse canal diretamente para os meus prospects. eu utilizei a plataforma ChatFuel, mas você pode usar qualquer outra da sua preferência,

Louco, não é?

Chega algo mais ou menos assim:

 

#6 – Entreviste os seus melhores clientes

No Hacking Growth de Sean Ellis, obra que citei no início desse artigo, uma das coisas que o autor mais coloca é: o seu produto é “must have”? Ou seja, o seu produto ou serviço é querido pelos seus clientes?

Essa é primeira coisa que você precisa fazer antes de pensar em Growth Hacking, pois, infelizmente não existe marketing que salve produtos ruins ):

O segredo aqui é perguntar.

Convide os seus clientes mais satisfeitos e frequentes para um café da manhã ou jantar.

Mas, o que perguntar?

Se você sair perguntando mil coisas vai tornar as respostas tendenciosas, como o próprio autor cita em sua obra.

Pergunte: Se o meu produto/serviço deixasse de existir, como você se sentiria?

Se a resposta for “muito triste/desapontado”, parabéns, você tem um produto must have!

Depois disso é só fazer experimentos atrás de experimentos e criando os seus próprios hacks de marketing digital.

Com essas dicas provavelmente o seu plano de marketing para 2018 vai ser visto de outra forma.

Let’s Growth 😉

Rodrigo Gomes de Oliveira

é Diretor de Marketing e Vendas na StayApp. Especialista em ajudar empreendedores a trazerem seus ex-clientes de volta e acelerar as vendas!

Comentários

PUBLICIDADE